Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Célia Quaresma Zechlinski

 05/07/1936     18/02/2018



PROVÍNCIA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS DE SÃO JOSÉ DE CHAMBÉRY NO BRASIL

NÚCLEO SAGRADA FAMÍLIA

 

                                                                                                        IR. CÉLIA QUARESMA ZECHLINSKI

 

                                                                                                                                                                      *05/07/1936

                                                                                                                                                                      + 18/02/2018

 

 

Foi no dia 05 de julho de 1936 que, na família de Leonardo Zechlinski e de Maria Quaresma Zechlinski, nasceu a menina chamada Célia, sendo recebida com muito carinho e alegria. Pais, profundamente cristãos, procuraram dar aos filhos a educação e formação religiosa, que eles mesmos cultivavam.

 

Célia recebeu o Batismo no dia 04 de outubro de 1936, e o Crisma em 1942, ambos na Paróquia São Pedro (atualmente Catedral). O pai faleceu quando Célia tinha 5 anos apenas, ficando traumatizada por esta perda precoce e tão inesperada.

 

Em 1954, sentindo o chamado de Deus para a Vida Religiosa, buscou aconselhar-se com um sacerdote que a ajudou em seu discernimento e a encaminhou à Superiora Provincial das Irmãs de São José, em Garibaldi.

 

Em 1956, iniciou sua caminhada na Congregação, sendo admitida ao Postulado em 22 de fevereiro de 1956, no Convento São José, em Garibaldi. No mesmo ano, em 14 de dezembro, iniciou o Noviciado, período de maior conhecimento sobre a Congregação, a Vida Religiosa, a Igreja e, também, de alguns estudos acadêmicos. Passados dois anos, firme em sua decisão, fez sua Primeira Profissão aos 29 de janeiro de 1959.

 

Em seguida, partiu em missão para a Comunidade do Hospital São Paulo, em Lagoa Vermelha, assumindo a secretaria do hospital, onde permaneceu um ano, apenas. Foi transferida, então, para a Comunidade do Hospital Del Prete, em Veranópolis, com a missão de secretária, onde ficou até janeiro de 1968.  Ir. Célia fez sua Profissão Definitiva no dia 29 de janeiro de 1964, em Garibaldi.

 

            De 1968 a 1970 esteve na Casa da Criança Sagrado Coração de Jesus, em Rio Grande, novamente como secretária, enquanto cursava o Técnico em Contabilidade; de 1971 a 1985 trabalhou no Hospital São João Batista, em Brochier, como tesoureira e administradora; de 1985 a1990, esteve no Colégio São José, em Montenegro, como tesoureira; de 1990 a 1995, morou na Comunidade do Colégio Regina Coeli, em Veranópolis, como tesoureira e responsável pelo Setor de Pessoal do Hospital N. Sra. de Lourdes e, também, assumiu atividades diversas na Paróquia e na Comunidade. De 1998 a 2016, morou na Comunidade Santa Joana d´Arc, em Rio Grande, onde foi auxiliar da Biblioteca do Colégio, ensinou datilografia na Vila Santa Rosa, dedicou-se a atividades na Paróquia São Pedro, tais como, Ministérios da Liturgia, da Palavra e da Caridade, a Pastoral do Idoso, das reuniões do Conselho Paroquial e outras. Exerceu com zelo a função de ministra da Eucaristia, na Catedral de São Pedro, cidade de Rio Grande/RS.

 

Em novembro de 2016, diante de suas limitações e fragilidades, foi transferida de Rio Grande para a Comunidade São José, em Porto Alegre, onde se dedicou à oração, pequenos serviços domésticos e cuidado com a saúde.

 

As Irmãs que conviveram com ela, em diferentes Comunidades, testemunham que Irmã Célia acolhia bem as pessoas que chegavam à recepção; tinha bom gosto na arrumação dos murais da casa para aniversários, festas e o presépio.

 

Chamada por Jesus à Vida Religiosa Consagrada, esforçava-se em viver o carisma e a espiritualidade das Irmãs de São José. Exerceu a missão a ela confiada com muita responsabilidade, dedicando muitos anos na contabilidade, em várias comunidades por onde passou. Participava com zelo em todas as reuniões e encontros comunitários das Irmãs ou promovidos por outros organismos de Igreja. Na comunidade Paroquial, participava das reuniões mensais de liturgia, do Conselho Paroquial e outras. Era muito fervorosa na participação  diária às missas na Catedral São Pedro.

Foi sempre muito ligada à família e sobrinhos, tendo  recebido carinho, sempre muito especial, por parte de cada um. Alguns deles, como as irmãs Enylda e Ilma, e o sobrinho Luiz Alberto, sempre acompanharam  a trajetória  de Ir. Célia, de modo particular.

Nos apontamentos do seu último retiro em 2017, com Pe. Quirino Weber, SJ, encontramos frases que alimentaram sua vida espiritual como: “Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida”. “Deus é Amor e Vida e quer ser a força do meu viver, na fé, alegria e disponibilidade.” “O fundamento de minha vida está em Jesus, na fé e no seguimento de Jesus Ressuscitado, em minha realidade.” “Confio no Bom Pastor. Ele é a porta que abre para o bem, o diálogo, o serviço, a entreajuda.” “Reconheço o grande amor de Deus por mim e com a humanidade; preciso corresponder com amor misericordioso.”

Em dezembro de 2017, caiu no quarto, quebrou um braço e machucou a cabeça. Após examinada e medicada, necessitando de cuidados constantes, foi, então, transferida à Comunidade Nazaré. Era muito agradecida pela atenção das enfermeiras, das Irmãs e colaboradoras.

Nos primeiros dias de fevereiro, sentiu-se impossibilitada de ingerir alimentos sólidos e foi preciso usar outros meios para alimentá-la.  

 

Irmã Célia acolheu o chamado definitivo de Deus entregando-se nos braços do Pai, no dia 18 de fevereiro, às 9 horas, com a idade de 81 anos de vida e 59 anos de Vida Religiosa, como Irmã de São José. Seu corpo repousará no Cemitério São José, em Porto Alegre.

Querida Irmã Célia,

você sempre foi coerente e responsável em sua consagração ao Senhor

e em sua missão.

Interceda junto a Deus por nós, suas co-Irmãs de Congregação,

para que nosso testemunho seja de pessoas felizes, realizadas, capazes de viver

a Unidade na Comunidade; pede, também, ao Senhor da messe que suscite

novas vocações à Vida Religiosa.

Lembre, também, junto a Cristo e Maria, seus familiares, todas as pessoas que lhe cuidaram e auxiliaram em suas necessidades ao longo de sua vida.

Descanse na paz do Senhor!

 

Porto Alegre, 18 de fevereiro de 2018.

 

 


topo voltar