Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Notícia
20/06/2020
Ir. Dominga Zolet : 50 anos de Vida Religiosa Consagrada


50 anos de travessias e de muitos “sins”, “nãos”, “talvez”... de muitos avanços, recuos, fracassos e vitórias!

Hoje, uma parada para reler, rever, AGRADECER, louvar, reconhecer, recomeçar... aliás foram esses os verbos que me fizeram avançar até aqui!

Em 24 de outubro de 1948, em Joaçaba, Sta Catarina, eu nascia... dando a um homem e a uma mulher os nomes mais sublimes da terra: pai e mãe! Depois de mim vieram mais seis filhas e um filho para gozarem da bênção de uma santa e amada família.

No Batismo, minha madrinha e avó materna me deu o nome de Dominga. Uma profecia? Um pressentimento? Pois “Dominga” significa “do Senhor, que pertence ao Senhor. ” E foi o que aconteceu no dia 21 de janeiro de 1970, em Garibaldi, RS. Meus pais, apesar de muitos sacrifícios e renúncias... (a filha mais velha que já poderia ajudar nos cuidados dos demais, pobreza, ...) consagraram sua filha a Deus pela profissão religiosa na Congregação das Irmãs de S. José de Chambéry e nunca se arrependeram desta oferta.


A missão

O que me cativou na Congregação das Irmãs de S. José (presente no sul do Brasil desde 1896) foi seu élan missionário e SUA FINALIDADE: unir as pessoas entre si, com Deus, estando a serviço dos mais pobres, através da prática das obras de misericórdia corporais e espirituais! Uma vasta e ampla missão!

Deus levou a sério esta consagração, pois um mês após, fevereiro de 1970, já iniciei uma grande jornada missionária, do sul ao nordeste do Brasil... prefiguração de muitas e muitas outras. Longas ou curtas “travessias”, travessias geográficas, psicológicas, culturais, afetivas, teológicas, pastorais! No Brasil (Maranhão, Bahia, Pará) e em outros países (França e Suécia)! Meus Deus, foram muitas as travessias! E às vezes várias ao mesmo tempo! As geográficas não foram as mais difíceis!

A primeira missão, difícil, mas as energias da juventude ajudaram a enfrentar: Município de Mirador, sul do Estado do Maranhão. Uma semana de viagem, em ônibus precários para aí chegar... mais de 4 mil kms longe das comunidades do sul e de minha família... com o único meio de comunicação o correio: 4 meses para uma carta ir e vir!...dormir em rede...ver a família a cada 3 anos, precariedade de alimentos, estradas, saúde... (é difícil imaginar essa realidade hoje, em 2020)


Muitas Bênçãos

Mas quantas bênçãos! Aos poucos fui entendendo o sentido das pessoas me chamarem de “irmã”. Na verdade, era assim que o povo nos acolheu e acolhia. Formamos uma grande família. O “Unir as pessoas entre si e com Deus” passou a ser concreto: grupos de jovens, de famílias, de mulheres, de crianças... com centenas de pessoas em cada grupo...

Todas as pessoas com sede de palavras de fé e esperança, cheias de entusiasmo cristão.... Mesmo nas condições precárias de vida!

Com foco no Projeto de Jesus, colaborei na formação/orientação cristã/social/metodológica/jurídica de centenas de grupos/associações/cooperativas: de famílias, jovens, mulheres, Sem Terra, pequenos produtores rurais, pescadores, migrantes, refugiados... e animadores das Comunidades Eclesiais de Base!

E na dinamização de nossa vida de Congregação, entre outros serviços, tive a graça de contribuir na formação de jovens irmãs, nos projetos de Espiritualidade e de Integração das Províncias brasileiras.


Ação de Graças

Difícil é listar as centenas e milhares de pessoas que, graças a minha vocação e na Congregação, foram ajudadas no crescimento de sua fé, na vivência da Palavra de Deus, na consciência de sua dignidade, nos direitos e meios a uma vida digna!

Teve um esforço pessoal, é verdade, mas a Congregação sempre me proporcionou uma formação profissional, técnica, espiritual, bíblico, teológica para bem ajudar as pessoas. (Faculdade de Serviço Social, especializações em Metodologia Social e Pastoral, Doutrina Social da Igreja, Espiritualidade e Bíblia).

Desde abril de 2016, estou outra vez na França atendendo a um novo apelo missionário da Congregação! Presença e apoio na comunidade de Albertvile em sua missão evangelizadora e de comunhão na vizinhança, famílias, escolas, migrantes; nos grupos e movimentos pastorais. Na Província França-Bélgica colaborando na dinamização da vida em missão em todas as fases da vida!

Muitas ‘pedras’ me fizeram tropeçar, cair, quase me afastar do ‘caminho’: o ativismo, falta de uma comunidade orante, ‘solidão-no-vazio’, fragilidade psico-afetiva-emocional, apaixonados tentadores, apelos constantes vindos das necessidades de mudar de trabalho, cidade, comunidade...


Tudo é obra de Deus!

Mas, apesar de tudo... estou celebrando 50 anos de Consagração, na Congregação! Nesta caminhada, quando sentada numa ‘pedra’ na beira da ‘estrada da vida’ sem coragem de recuar e sem esperança para avançar, não faltaram “peregrinos/as” que fizeram caminho comigo, me conduzindo até suas ‘casas’, partilhando o Pão da Palavra, da Eucaristia e da experiência... ajudando-me a retomar a caminhada com novo elã. O “Caminho de Emaús... ‘Lc 24,13-35. ’ Foi uma constante nesta minha longa história. Esse ‘peregrino/a’ tem rosto, nomes concretos: familiares, irmãs de congregação, padres, pais e mães do povo, colegas de trabalho, grupos pastorais, vizinhos/as ... Uns ainda vivos, outros já na glória de Deus... Não vou nomeá-los, mas eles e elas sabem disso…A eles/as devo a celebração dos 50 anos.

Uma coisa desejo revelar: em todos esses anos, todas as noites, meu pai, até sua morte e ainda hoje minha mãe, rezam a oração da Salve Rainha por minha perseverança na Vocação! Como não perseverar com uma reza tão forte e feita por pessoas tão santas?

A Vocação é uma eleição! Ainda hoje cresço na consciência desta verdade de fé. (Como pode uma adolescente, de família pobre, de recantos geográficos e sociais tão esquecidos, semianalfabeta... dizer um dia a seus pais: “quero ser irmã”!? E os pais acreditaram e fizeram o necessário!

Tudo é obra de Deus! Ele me quis como instrumento! Por isso, com todos/as LOUVO e AGRADEÇO.... E a caminhada continua! Rezem por mim!                           

 







Envie seu comentário

*Campos marcados com  barra são de preenchimento obrigatório.
topo voltar