Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Notícia
26/02/2019
8 de março dia Internacional da Mulher

Irmãs de São José de Chambéry

8 de março de 2019


DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES

 

Queridas Irmãs,

Leigas e Leigos do Pequeno Projeto

e Amigos,

 

O caminho para o reconhecimento da dignidade e dos direitos das mulheres é talvez a mais longa revolução da história. Na agenda da ONU para o Dia Internacional da Mulher deste ano está o tema "Rumo a um Planeta 50-50 em 2030". É um tema que busca reforçar o papel das mulheres em todos os níveis. Colocar o foco na igualdade de gênero, ainda por vir, requer políticas adequadas em matéria de remuneração e emprego, serviços públicos, incluindo proteção contra violência doméstica e sexual, e acesso à educação e tecnologia, a fim de promover o avanço de mulheres e meninas.

 

A pesquisa das Nações Unidas está longe de ser encorajadora. Menos da metade das mulheres adultas são empregadas no mercado de trabalho oficial e com um salário de 20 a 40% mais baixo do que o dos homens em termos profissionais. Um terço das mulheres trabalhadoras deixam o emprego por causa da maternidade.

 

Feminicídio, estupro, assédio nas ruas e no trabalho, e os abusos e violências perpetrados on-line como continuação da violência doméstica são uma praga que quase todos os dias figuram vergonhosamente nos noticiários em todo o mundo. Não existe uma idade particular para este vórtice desumano de violência, que em muitos casos já ocorreu antes dos 20 anos de idade. O que estamos fazendo para mudar a cultura e as tradições que nutrem e alimentam a desigualdade feminina? Como estamos comprometidas/os em derrubar a ordem que, como um dado “natural”, foi autorizado a continuar a dominação de um sexo sobre o outro por séculos?

 

O Papa Francisco observou recentemente que “a persistência de uma certa mentalidade machista existente, mesmo nas sociedades mais avançadas, transforma as mulheres em súditas e, na Igreja, seu serviço “se resume mais a papéis de servidão do que de serviço verdadeiro”.

 

As mulheres têm o direito de ser livres para viver sem medo, para se locomoverem ou se sentirem seguras em seus lares, para desenvolver seu potencial, para participar da tomada de decisões e ser reconhecidas em sua dignidade. Em diferentes áreas do planeta, nossas comunidades estão lutando ao lado das mulheres, construindo caminhos de avanço social e empoderamento, mas ainda é uma ação local.

 

A desigualdade de gênero é universal, mas de maneira alguma é inevitável. Parar a desigualdade de gênero requer a mobilização de todos os movimentos nacionais de mulheres, líderes, organizações e indivíduos. Queremos fazer parte disso? Queremos contribuir para um mundo em que mulheres de todas as culturas e religiões tenham os mesmos direitos e a mesma liberdade que os homens? Vamos nos juntar às melhores iniciativas de mobilização e campanhas de conscientização em nossa sociedade e na Igreja Católica, buscando fortalecer as vozes de todas as mulheres e lutar por seu reconhecimento.

 

Um Bom Dia para as Mulheres, para todas vocês, Irmãs, Leigos e Leigas e a todos os Amigos do sexo masculino que reconhecem o gênero feminino e querem um "planeta 50-50"!

 

O Conselho Geral









Envie seu comentário

*Campos marcados com  barra são de preenchimento obrigatório.
topo voltar