Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Irmã Maria Irma Farina

 06/06/1924     24/07/2013



CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS DE SÃO JOSÉ
PROVÍNCIA DE PORTO ALEGRE

IRMÃ MARIA IRMA
(Thereza Farina)

* 06/06/1924
+ 24/07/2013

“Com um coração simples e contente, Senhor, eu Te dei tudo.”


Thereza, sétima dos 12 filhos do casal Ernesto Farina e Maria Festa, nasceu aos 06 de junho de 1924, em Lagoa Vermelha. Família profundamente cristã, a mãe falava da tia e as várias primas religiosas. Isto entusiasmou a jovem Thereza que, quando expôs seu desejo aos pais e irmãos, todos a apoiaram e incentivaram. Ela sempre rezava para que Deus a iluminasse quanto a sua vocação.
Com 21 anos de idade, aos 28 de fevereiro de 1945, iniciou a etapa de formação, o Postulado, no Convento São José, em Garibaldi. No mesmo ano, aos 18 de outubro, foi admitida no Noviciado, recebendo o nome de Irmã Maria Irma. Tendo certeza de que era esse o caminho a trilhar, pronunciou seus Votos Temporários, aos 27 de outubro de 1946. Iniciava, então, a sua dedicação a Deus e aos irmãos e irmãs, na cozinha do Sanatório São José, em Porto Alegre. Cinco anos, após, no dia 13 de janeiro de 1952, fez sua entrega definitiva a Deus pelos Votos Perpétuos.
Feliz com sua consagração, exerceu a missão de cozinheira em diversos lugares: - duas vezes, no Sanatório São José, em Porto Alegre, - no Ginásio São José, em Antônio Prado, - na Comunidade São Luiz, em Porto Alegre, - na Comunidade da Escola Normal Regina Coeli, em Veranópolis, - na Comunidade Nazaré, além da cozinha, supervisionou o trabalho da horta, - na Comunidade Madre Justina Inês, em Porto Alegre, - na Comunidade São José e a Comunidade Nossa Senhora de Lourdes, em Veranópolis. Sentindo-se desgastada, dedicou-se a serviços domésticos, trabalhos manuais, presença na Fraternidade Cristã dos Deficientes e Doentes, em Porto Alegre, e visitava pessoas idosas e doentes nas famílias. Gostava muito de bordar e fazer crochê.
Procurou sempre viver, no dia-a-dia, o que prometeu quando assumiu a Vida Religiosa e buscou dar respostas sinceras e coerentes em sua missão. Diante das dificuldades procurava força na oração, nos encontros comunitários e na confiança em Deus. Era pessoa simples, dedicada, responsável. Cultivava sua vocação e missão através de cursos de Arte Culinária e de encontros sobre a Vida Religiosa e retiros. As frases bíblicas que mais a marcaram foram: “Senhor, seja feita a tua vontade. Se alguém quer Me seguir, siga-Me. Mostra-me o Pai e isto me basta. Tudo o que pedirdes ao Pai, Ele vô-lo dará.”
Tinha grande devoção a Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças, ao Espírito Santo, a São José e ao Menino Jesus de Praga.
Suas maiores alegrias e realizações foram: - pertencer a uma família unida e de fé profunda; - sentir-se feliz na vocação e nas comunidades onde viveu; - encontrar-se com seus familiares; - ser uma presença de unidade e de fraternidade.
O problema auditivo a fazia sofrer muito por não poder acompanhar as conversas e as leituras. Sentia muito cansaço nos membros inferiores e dores na coluna. Porém, procurou carregar sua cruz com paciência, amor e confiança em Deus. Ela deixou escrito: “Agora que minhas forças estão diminuindo por causa de minha idade, vejo que devo ser mais corajosa, não me deixar levar pelo desânimo, mas louvar a Deus por ter vivido até hoje. Ele está sempre comigo!”
Em junho de 2011, esteve seriamente doente, necessitando de cuidados maiores. Foi trazida para Porto Alegre, na Casa de Saúde Nazaré, a fim de ser melhor atendida. Procurava entreter-se fazendo tricô para os pobres e rezando pela Congregação, a Igreja, as Irmãs e funcionárias da Comunidade, seus familiares e todas as pessoas que a visitavam. Era sempre muito agradecida pela ajuda prestada.
Nos primeiros dias de julho, acometida por um AVC (acidente cardio vascular) foi internada na Santa Casa, onde ficou por duas. Estando um pouco melhor, voltou para casa, mas necessitando cuidados constantes. No dia 23, à tarde, teve mais um AVC que a deixou bem mal. A médica considerou o caso grave e foi assim que, às 5 horas da manhã de 24 de julho de 2013, entregou sua vida nas mãos de Deus. Tinha 89 anos de idade e 67 anos de Vida Religiosa, como Irmã de São José. Seu corpo repousa no Cemitério São José, em Porto Alegre.

Querida Irmã Maria Irma,
você viveu muitos anos junto a nós,
buscando fazer o bem a todos,
tanto na cozinha como em outros ambientes e afazeres.
Temos certeza de que está gozando
da felicidade eterna junto a Deus, Maria e São José,
e tantas outras pessoas que você muito amou e serviu.
Interceda por suas Irmãs de Congregação, pelos jovens
que estão discernindo sua vocação, por seus familiares,
pelos médicos, enfermeiras e funcionárias que a ajudaram em sua doença.
Descanse em paz!

 
topo voltar