Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Fale Conosco
Memorial Saudades
Maria Gabriela Nogueira

 08/08/1921     01/02/2021



Província da Congregação das Irmãs de São José  de Chambéry no Brasil - Núcleo SSma. Trindade        

                          

Irmã Maria Gabriela Nogueira

(Maria Nogueira)

* 24/08/1921     + 01/02/2021

 

“Quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto, porque sem mim nada podeis fazer” (Jo 15,5).

 

Maria da Consolação, seu nome de batismo, era filha do seu Adelardo Rodrigues de Nogueira e de D. Etelvina Cândida Junqueira. Nasceu no dia 24 de agosto de 1921 numa fazenda perto de Franca, - SP.  A família foi abençoada com 11 filhos. Os pais eram cordatos, calmos e a família bem unida. A mãe ótima dona de casa, costurava, e sempre recebia as visitas com alegria.

 

Numa parte, da fazenda do avô, dividida em herança, ficaram três irmãos, incluído o pai de Maria da Consolação. Aos oito anos, a amenina foi morar com a avó, em Franca para frequentar a escola. Já sabia ler e escrever, tinha aprendido com o pai. No Externato das Irmãs de São José, progrediu rápido e logo entrou na primeira turma do Ginásio Nossa Senhora de Lourdes.  Maria gostava e tinha roupas bonitas, costuradas por uma tia ou pela mãe. O pai atento acompanhava seus estudos. Concluído o Ginásio, Maria foi para o internato Nossa Senhora do Patrocínio em Itu onde se formou Professora.

 

Maria tinha uma tia Irmã de São José, Ir. Arminda que era uma exímia professora de canto. Também tinha um tio marista que anualmente mantinha contato com a família. A convivência com as Irmãs despertou seu desejo de ser religiosa e se decidiu logo, após formada. A mãe pensava na filha formada, para ajudar a família, mas como o pai, concordou logo com a vocação da filha. Assim, Maria entrou para o Noviciado das Irmãs de São José, no dia 02 de fevereiro de 1942. No dia 06 de agosto do mesmo ano, recebeu o hábito com o nome de Irmã Maria Gabriela. Dois anos mais tarde, a 06 de agosto de 1944, fez seus primeiros Votos e celebrou a Profissão Perpétua no dia 29 de janeiro de 1948.

 

Irmã Maria Gabriela pensava em ser professora, mas logo após o Noviciado, a Madre Provincial, lhe propôs estudar enfermagem. Sua única experiência na área, era ver a avó que, morando na cidade, acolhia a todos os da família precisados de médico e tratamento acompanhando-os com a maior dedicação e carinho. Refletiu e aceitou a proposta. Fez o Curso de Enfermagem no Hospital São Paulo e deu-se muito bem. Só não concordava com a rigidez e a imposição da Diretora, o que provocava alguns atritos.  Ficou encantada pela área da Saúde. Considerava a Enfermagem maravilhosa, caminho aberto para tratar bem os doentes e zelar pela saúde de todos.

 

No exercício de sua profissão-missão, Irmã Maria Gabriela contribuiu para a fundação da Escola de Enfermagem São José onde foi criado o Curso de Auxiliares de Enfermagem que formou tantas profissionais competentes neste nível de atendimento ao doente. Foi a terceira Diretora desta Escola. O Dr. Alcântara Machado, seu grande amigo, foi um pai para a Escola de Enfermagem. Também era encantado pela área da saúde. Junto promoviam tudo o que precisasse para acompanhar a evolução e o avanço da medicina.

 

Na maior parte de sua vida, a Santa Casa de São Paulo foi o chão de Irmã Maria Gabriela. A comunidade das Irmãs, bem numerosa nas décadas de 40 e 50, era bem organizada a serviço da missão de cuidar da saúde. Não faltavam momentos fortes de oração, boa convivência, atenta e fraterna vida comunitária. Uma das superioras foi a querida Madre Paula de S. José de Almeida Cardoso, uma unanimidade. Amiga de todos, sabia manter o ambiente alegre, espontâneo. Dava carta branca para tudo o que a Enfermagem precisasse. Conviver e trabalhar assim dava segurança e conforto, era muito bom! Quando se tratava do cuidado aos doentes e do sigilo da profissão, Irmã Gabriela era bem exigente e bastante crítica, até rebelde se precisasse.

 

Irmã Maria Gabriela foi Secretária da Associação Brasileira de Enfermagem tendo vários trabalhos publicados na Revista Brasileira de Enfermagem.

 

Depois de um triênio como Conselheira da Província (1970-1973), Irmã Maria Gabriela foi eleita Superiora Provincial em São Paulo, cumprindo dois mandatos (1973-1978). Na palavra dela, sua experiência nesta responsabilidade: “Não fosse, a fé, teria feito tudo para desviar-me dessa missão que exige muita responsabilidade e abnegação. Que mudança na minha vida! Havia grandes colégios e eu era enfermeira. Exigia muito esforço, mas Deus está na frente. Fui aprendendo a me ajeitar à personalidade de cada pessoa. As comunidades foram me burilando. Fiquei como Provincial dois mandatos de três anos cada”.

 

Irmã Maria Gabriela colocou-se inteira no projeto de Vida Religiosa abraçado, sem se preocupar em projetar sua vida que foi sendo conduzida pela inspiração de Deus por diferentes caminhos, na evolução dos tempos e da Congregação.

 

Em maio de 1997, Ir. Gabriela se tornou Superiora da Casa de Repouso São José. E em 2003, assumiu o cargo de Administradora, fazendo parte até 2010, da Equipe Gestora da Casa, pela Associação SIPEB. Anteriormente, por muitos anos, Irmã Gabriela fez parte da Diretoria da Associação de Instrução Popular e Beneficência (SIPEB), dando significativa contribuição para a entidade mantenedora das obras em São Paulo.

 

Chegou para Irmã Gabriela, o tempo de descanso, de mais oração, leituras e ocupações preferidas como fazer tricô a máquina. Aos poucos, tornou-se dependente sobrevivendo ainda alguns anos. No dia 1° de fevereiro de 2021, a poucos meses de se tornar centenária, Gabriela partiu para o lugar preparado, nas alegrias do encontro com seu Deus tão amado e servido no querido próximo.

 

Querida Irmã Gabriela, tão cuidadora,

Nesses tempos bem carentes de condições saudáveis,

Olha por nós, todas/os caminhantes.