Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Fale Conosco
Memorial Saudades
Irena Pilz

 07/06/1929     13/05/2020



CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS DE SÃO JOSÉ CHAMBÉRY.

   NÚCLEO BOM PASTOR

 

                                                                                                                                     IRMÃ IRENA PILZ     

                                                                                                                                                         * NASCIDA: O7 DE JUNHO DE 1929

                                                                                                                                                         + FALECIDA: 13 DE MAIO DE 2020

 

“Jesus disse: “Eu garanto a vocês: Todas as vezes que vocês fizeram isso a um dos menores de meus irmãos,

foi a mim que o fizeram.” (Mt 25, 40)

 

Filha de Francisco Pilz e de Lina Pilz. Pais descendentes de alemães, seguiam os costumes dos antepassados, residiam em Rio Negrinho-Santa Catarina. Era a filha mais velha de 04 filhos. Aos domingos seus pais frequentavam, com a família, a Igreja local, para a reza do terço e outras orações com explicações litúrgicas. Irena foi batizada em julho de 1929 e recebeu uma excelente catequese em preparação para sua Primeira Comunhão.


Irena sempre cultivou um grande interesse pelas leituras bíblicas, de histórias e romances sadios. Aos 11 anos, sua paixão foram as leituras de livros de santos e outros que falavam sobre as missões e isto despertou seu sonho: Ser missionária em terras distantes, para tornar Jesus conhecido aos pobres e ao povo. Aos 13 anos, entregou a sua vida a Deus por intermédio de Nossa Senhora das Graças.


Em 1945, a Província das Irmãs de São José de Chambéry abriu, na cidade de Rio Negrinho- SC, uma comunidade de Irmãs para atender crianças, num Jardim de Infância. Irena logo se colocou disponível para ajudar, orientada pelas Irmãs. Perguntaram-lhe se ela queria ser religiosa, ao que ela respondeu prontamente: Que seu sonho era ser missionária e então, lhe afirmaram: Nós também atendemos lugares de missões e, assim a cativaram. Ingressou na vida religiosa consagrada, após uma longa preparação e com entusiasmo, coragem e amor fez, no dia 29 de janeiro de 1948, sua Primeira Profissão e após cinco anos de experiência missionária confirmou a entrega de sua vida ao Senhor pela Profissão Definitiva.


Sua peregrinação missionária iniciou na Lapa/PR- e em Castro/PR, como professora;  Em Campinas-SP, cursou enfermagem e Obstetrícia; Voltando a Curitiba/PR- atuou no Hospital Militar, atendia às parturientes, na Santa Casa de Misericórdia – Curitiba/PR e em várias enfermarias de Clínica Geral e acompanhava o serviço do raio X. Na Maternidade Nossa Senhora de Fátima, atendimento de obstetrícia e cuidados pós-parto. Desde sempre desejava partir para as Missões de além Fronteira, era seu sonho lá longe, no exterior. Não conseguindo “ad gentes” partiu para São Félix de Araguaia, MT, em 1975. Deu cursos para preparação de parteiras e atendimento no Posto de Saúde para gestantes e partos, bem como dava assistência ao povo da região. Acompanhava nas celebrações, na Medicina Alternativa, na Pastoral da saúde, na saúde natural e fitoterapia.


Chegou em Curitiba, no dia 18 de janeiro de 2014, fazendo parte da Comunidade Nossa Senhora Aparecida e em setembro passou para a comunidade Nossa Senhora de Lourdes, para tratamento de saúde.


Era dedicada, participativa, disponível doada, alegre, piedosa. Em suas orações tinha sempre presente a sua família a quem cultivava laços fortes de amor e de gratidão.


 Sentia-se feliz, assumindo, com amor, cada dia a vontade de Deus e com 85 anos de consagração ao Senhor serviu aos irmãos/ãs, de acordo com suas condições, vivendo a mística pessoal da Espiritualidade e Carisma da Congregação das Irmãs de São José.


Ela, assim, se expressava: “Ajuda-me, Senhor, a seguir com fé, amor e gratidão até quando Deus quiser, na simplicidade, na vida comum e na entreajuda. Falava sempre::”Tenho  uma história de vida e de fatos, em que Deus de Amor e de Misericórdia sempre agiu ao longo dos meus 85 anos.”Dedicada, disponível serviçal, dinâmica gostava de estar sempre em movimento para servir. Muito piedosa, assídua nas leituras, reservava como prioridade muitos momentos de oração, reflexão e contemplação da Palavra de Deus. Deixava-se tocar pelas graças e apelos que transfiguravam seu coração e seu agir. Possuía um coração aberto, dócil, sensível, generoso, que se manifestava na gratidão, na humildade e no pedido de perdão. Continuou sendo uma discípula missionária, realizando o Projeto do Pai, como uma Irmã alegre, companheira, amiga e incentivava a vivência das relações fraternas, de acordo com o nosso Carisma de Unidade e Comunhão. Diariamente, das 21h. às 22h. fazia adoração na capela. Querida Irmã Irena, nós, suas coirmãs, Igreja, Congregação e amigos/as agradecemos a sua generosidade, entusiasmo pelo envolvimento nas coisas de Deus e sua atenção, escuta aos gritos da humanidade sofredora. Somos gratas pela missão de ser geradora de vida em muitas realidades de sua peregrinação missionária. Ultimamente, seu estado de saúde se agravava sempre mais, necessitando internamento. Não conseguindo superar a doença, veio a falecer com 91 anos de idade e 71 anos de vida religiosa consagrada, no dia 13 de maio, na celebração da festa de Nossa Senhora de Fátima. Hoje, acreditamos que já se encontra nos braços da Trindade Santa e de Maria e  São José e goza das alegrias eternas.

                                                       

                          Oração  a São José

Lembrai-vos ó São José, que jamais se ouviu dizer

que alguém tivesse invocado

vossa proteção e implorado vosso auxílio

e não fosse por vós atendido/a.

Com esta confiança, dirigimo-nos à vossa presença.

A vós com fervor nos recomendamos.

Enviai à Igreja, vocações sacerdotais,

Religiosas e leigas comprometidas

com a construção do Reino de Deus.

Olhai com solicitude para as nossas famílias e

comunidades, a fim de que guardemos

com fidelidade o dom da fé e da consagração batismal,

que nos une a Cristo e nos coloca a serviço do seu Reino.

Não desprezeis as nossas súplicas,

mas dignai acolhê-las favoravelmente. Amém!