Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Fale Conosco
Memorial Saudades
Luzia de Barcelos

 10/12/1940     06/05/2020



CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS DE SÃO JOSÉ O BRASIL

             NÚCLEO BOM PASTOR

 

                                                                                                     IRMÃ LUZIA DE BARCELOS

 

                                                                                                                                 *  NASCIDA: 10 de dezembro de 1940

                                                                                                                                 + FALECIDA: 06 de Maio de 2020              

 

       “ Deus amou tanto o mundo, que entregou seu Filho!   

         Quem no Filho crê e confia, Nele encontra vida eterna.”(Jo 3,16)

 

Luzia nasceu na Fazenda Ponte Alta. Município de Tiros de Minas Gerais. Filha de José Martins de Barcelos e Ana Rosa de Lima.  Sua família era formada de 14 irmãos, dos quais 11 filhos e 03 filhas. Luzia teve uma infância muito feliz e a pobreza nem era tão sentida, pois com a convivência harmoniosa entre todos, a situação financeira passava em segundo plano. Receberam dos pais e avós uma formação religiosa muito profunda e exigente. As devoções eram o forte de todos os seus dias. Não podia faltar a reza do terço, as novenas no mês de maio e os momentos de solidariedade com os vizinhos. Deste lar abençoado, Deus escolheu para segui-lO, uma religiosa, Luzia e um sacerdote.


          Os filhos não eram agraciados com brinquedos comprados, divertiam-se com pescaria de peneira, colhiam frutas, corriam pelos campos e subiam nas árvores. Sua diversão preferida consistia em atravessar o rio que havia no fundo do quintal com canoas fabricadas pelos irmãos. As peripécias não eram poucas. Para tudo tinham que pagar o preço. Mas, tudo era uma festa! Seu pai cuidadoso com o estudo de seus filhos, organizou uma escola dentro de sua casa e uma prima com apenas o 4º ano primário era a professora. A escola para eles ficava num lugar maravilhoso, onde passavam momentos alegres e felizes. Para Luzia, a lembrança da infância foi um tempo feliz e abençoado. De Tiros, a família mudou-se para Goiás. Foi um tempo penoso e exigente. Luzia não conhecia a vida religiosa, mas acreditava que toda religiosa era santa e ela queria também ser santa. No dia de sua Primeira Comunhão, comentou com o padre que gostaria de ser santa. Ele riu muito, mas aconselhou que ela crescesse e procurasse realizar seu sonho. Foi para o Rio de Janeiro, em busca de seu ideal com 15 anos de idade. ficou apenas nove meses e seguiu para Curitiba, iniciando o Juvenato. Neste período adoeceu e não pode entrar no postulado, atrasando a sua formação por mais de cinco anos. Sofreu com paciência e entregou tudo nas mãos de Deus. O tempo de formação para ela foi forte de descobertas, de partilha, de convivência. Sentia-se impulsionada a fazer tudo o que lhe era solicitado, conquistando assim maior conhecimento e sintonia na convivência. Não faltaram provações que a remetiam ao incompreensível. Mas, não a desanimaram, pois Luzia sabia o que ela buscava com tanto empenho. Gostava muito dos momentos de recreação, esses ajudavam no entrosamento, na alegria e na participação. Ela realizava todos os trabalhos com muito amor e carinho. No dia 11 de fevereiro de 1964 fez, com alegria e generosidade, a Primeira Profissão, entregando sua vida ao Senhor e numa doação plena, no dia 11 de fevereiro de 1969, a Profissão Definitiva.     


          Sua atuação apostólica e missionária como professora iniciou na comunidade de inserção em Curitiba, na Vila Nova/PR; no Colégio São José-Curitiba/PR; em Andirá no Oeste do Paraná, no Educandário Stella Maris; em Caçador/PR, no Colégio Nossa Senhora Aparecida; no colégio Nossa Senhora de Lourdes-Curitiba/PR; em Umuarama/PR, dedicou-se na formação das Postulantes e das Noviças; no Noviciado Pe. Médaille, como auxiliar da Mestra; na comunidade São José Operário- em Salto Veloso/SC, catequese paroquial; na Comunidade Provincial-Curitiba/PR, como Conselheira; nas comunidades  de Nova Olinda do Norte/AM e Bom Pastor- Miguel Calmon/BA- Voltou a Curitiba, foi submetida a duas cirurgias, e enquanto se recuperava ficou na comunidade José- Pinhais/PR; no Postulado São José, como mestra das noviças e na comunidade Cenáculo em Inácio Martins/PR; Comunidade de Guadalupe-Nova Laranjeiras/PR e na Comunidade Nossa Senhora Auxiliadora- Mariental - Lapa/PR.


          Irmã Luzia era dedicada, piedosa, responsável e possuía um grande amor à sua vocação e muito disponível em realizar o Projeto do Pai, dedicando-se no serviço da Congregação, da Igreja, doando sua vida, com amor, na Formação Inicial e Permanente e na Equipe de retiros. Sentia-se feliz como religiosa e apesar de sua saúde frágil, continuou a missão, conforme o desejo do Pe. Médaille, no município mais pobre e necessitado do Paraná. Com o povo lutava pela sua promoção e ajudava os pequeninos, bem como se envolvia na formação de lideranças. Toda esta vida espiritual era fruto de muita oração e dos encontros pessoais com o Senhor. Tinha como referência o texto bíblico de Jo.17, sobre a unidade e a Constituição nº 06 que impulsionavam Irmã Luzia a viver a sua consagração ao Amor Trinitário, no desafio a viver este amor como viviam Jesus, Maria e José. Ela dizia: “O que mais me ajudava seguir em frente além da vida comunitária, a confiança que tinha por São José e a lembrança constante da alegria, fidelidade e amor de seus pais, a quem admirava e amava. É Por Jesus que tudo suporto e transformo em vida. Confio sempre na Trindade Santa e em Jesus, Maria e José fontes de amor e unidade.”


Como nos últimos dias a sua saúde estava cada vez mais fragilizada, veio a Curitiba para tratamento de saúde. Poucos dias depois, foi internada. Não conseguindo se recuperar veio a falecer no dia 06 de maio de 2020.


Querida Irmã Luzia, você que já conhece a Face da Trindade Santa e goza das alegrias eternas, seja agora nossa Intercessora.


 

                                                      ORAÇÃO A SÃO JOSE

Lembrai-vos ó São José, que jamais se ouviu dizer

que alguém tivesse invocado

vossa proteção e implorado vosso auxílio

e não fosse por vós atendido/a.

Com esta confiança, dirigimo-nos a Vós.

Enviai à Igreja, vocações sacerdotais,

Religiosas e leigas comprometidas

Com a construção do Reino de Deus.

Olhai com solicitude para as nossas famílias e

Comunidades, a fim de que guardemos

com fidelidade o dom da fé e da consagração batismal,

que nos une a Cristo e nos coloca a serviço do seu Reino.

Não desprezeis as nossas súplicas, mais dignai-vos

                                                    acolhê-las favoravelmente. Amém.!