Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Irmã Maria Sirtoli

 08/10/1918     04/06/2013



Congregação das Irmãs de São José
Província de Lagoa Vermelha

 
IRMÃ MARIA SIRTOLI

Nascida em 8 de outubro de 1918
Falecida em 04 de junho de 2013

 
“Eu te bendigo, Pai, Senhor do céu e da terra
porque escondeste estas coisas
aos sábios e entendidos
e as revelaste aos pequeninos” (Lc 10,21)
Esta prece de Jesus ao Pai é um convite à pequenez, para termos a sabedoria do Reino. Irmã Maria, no dia-a-dia, revelou esta sabedoria. Era uma Irmã de oração que saboreava a experiência de Deus, tendo um coração de criança: simples, aberto, sincero, fraterno.
Filha de Eugênio Sirtoli e Ana Fabri, nasceu em 18 de outubro, na terceira légua, interior de Caxias do Sul, recebendo na pia batismal o nome de Maria.
Aos dois anos de idade, perdeu sua querida mãe. Seu pai exerceu a dupla função de pai e mãe. Ensinou-lhe rezar, explicava-lhe a Palavra de Deus e a preparou para a Primeira Comunhão. Nesse ambiente familiar, Maria foi crescendo no amor a Deus e ao próximo.
Sensível ás manifestações do Espírito, nela despertou um grande desejo de consagrar-se ao Senhor na Vida Religiosa. Assim aos 20 de fevereiro de 1938, começou período do postulado no Convento São José, em Garibaldi. Simples, fervorosa e decidida, em 22 de novembro de 1938 iniciou o noviciado, etapa de maior aprofundamento pessoal e conhecimento de Jesus Cristo, razão de ser de sua vida e consagração. Neste dia recebeu o nome de Irmã Ernestina. Em 22 de novembro de 1939 fez a 1ª Profissão e, em 24 de fevereiro de 1945 a Profissão Definitiva na Congregação das Irmãs de São José.
Em toda trajetória de sua vida, Irmã Maria revelou-se pessoa aberta e sensível á ação do Espírito e, sempre manifestou sua vontade de agir de acordo com a vontade de Deus que se manifestasse também, através de mediações...
Com amor, carinho, dedicação e plena de atenções e delicadezas exerceu sua vida e ação missionária como cozinheira, em Garibaldi, Vacaria, São Francisco de Paula, Sananduva, Segredo, Maximiliano de Almeida, Lagoa Vermelha, Ipê e Vacaria, dando um belo testemunho de louvor e entrega a Deus, de serviço a quem a circundavam. A cozinha se tornou o símbolo do altar de celebração.
Alimentava sua vida espiritual com a oração, a celebração eucarística, a reza do terço e a palavra de Deus. Tinha uma vida interior intensa, semeava seu dia com jaculatórias ao Coração de Jesus, a quem atribuía sua vocação, a Nossa Senhora Auxiliadora, São José e a Santa Terezinha. Na relação íntima com o Senhor encontrou forças para ajudar e servir com amor suas Irmãs.
Irmã Maria viveu feliz, porque se sentia amada de Jesus. Sempre desejou ser santa. Viveu uma vida alegre, mesmo entre muitos sofrimentos, procurando tornar felizes as co-irmãs
Apreciava muito textos do Evangelho de João, salmos e números das Constituições, que a interpelavam à vivência do amor a Deus e ao próximo.
Num de seus depoimentos Irmã Maria afirmou: “se fosse para começar tudo de novo o faria hoje com mais amor e maior perfeição.”
Às jovens aconselha: “Não tenham receio de se doarem. Rezem muito, pois sem oração nada podemos.
Desde 1989 Irmã Maria passou a residir na Comunidade São José do Patrocínio, em Vacaria, RS, onde continuou a doar-se, sem pensar em si, sendo toda para Deus e suas Irmãs.
Em 2001 passou a fazer parte da nova comunidade Bom Samaritano em Vacaria. Com o findar das atividades previstas nesta comunidade, em 2004 voltou a integrar a Comunidade São José do Patrocínio. Ali, com seu permanente sorriso irradiava a felicidade de estar em comunidade, apreciando a vida de oração e contemplação, aceitando receber e prestar serviços de mútua ajuda.
Sua comunicação revelava conteúdo de vida interior, fruto amadurecido pelo sol da Palavra e a força da Eucaristia.
Nesses últimos três anos, imobilizada em seu leito, viveu momentos de Calvário que a levou a reavivar a fé, a confiança, a entrega.
Seguidamente Irmã Maria expressava seu desejo a Jesus Cristo para que lhe abrisse as portas, o quanto antes, para que pudesse estar na Casa do Pai.
Na noite que antecedeu sua morte a Irmã que a acomanhava, vendo suas forças chegarem ao fim, fez o envio dela para a missão sem fronteiras e disse-lhe que seguisse confiante, quando o Senhor a chamasse. Às 2h30min do dia 04 de junho de 2013, momento da partida Irmã Maria, expressando em alta voz disse: “Jesus, Maria, José, abram a porta” e, definitivamente, deixou este mundo.
Contava 94 anos de idade e 74 de Vida Religiosa Consagrada.


Querida Irmã Maria,
agradecemos a Deus o dom de sua vida,
a historia que percorreu neste mundo,
e o testemunho do seguimento fiel a Jesus Cristo que nos deixou.

Interceda a Deus pelas necessidades do mundo, da Igreja, da Congregação;
dos familiares, das funcionárias(os) desta casa e todas as pessoas com as quais teve contato neste mundo.

Interceda a Jesus, Maria e José para que todos e todas as pessoas encontrem neles a presença reconfortante de esperança na hora de sua partida.

Irmã Maria Sírtoli foi sepultada no Cemitério Municipal Santa Clara no jazigo das Irmãs de São José, em Vacaria, RS, após a missa,
celebrada na Capela da Comunidade São José do Patrocínio.

Vacaria, 04 de junho de 2013.
 
topo voltar