Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Rita de Cássia Dantas

 10/09/2019     20/09/2019




          Província da Congregação das Irmãs de São José de Chambéry no Brasil

          Núcleo Santíssima trindade       

                                                                                                       Irmã Rita de Cássia Dantas

 

                                                                                                                   * 10/09/1919    

                                                                                                                   + 20/09/2019

                                                                                                                                                                                    

                                                                              “Como o Pai me amou, também eu vos amei.  Permanecei no meu amor” (Jo 15,9).

 

Irmã Rita de Cássia Dantas nasceu, em Assis – SP, no dia 10 de setembro de 1919.  Recebeu o nome de Isabel. Era filha do Sr. Adolpho Rodrigues Dantas e de D. Auta de Arruda Dantas. Adolpho foi viúvo duas vezes antes de se casar com Auta. Tiveram 6 filhos, sendo Isabel a 3ª.  Auta criou 2 enteados, filhos da primeira esposa. Sua irmã mais velha faleceu aos 6 anos de idade. Isabel foi batizada em Assis, na Igreja Coração de Jesus, onde também foi crismada, pelo Bispo D. Antonio José dos Santos, da diocese de Botucatu, SP. Fez a primeira comunhão a 08 de dezembro de 1925, na mesma Igreja, tendo aprendido em catequese, mais com seus pais do que na igreja que frequentou também.

 

Os pais eram católicos fervorosos, transmitindo a fé a seus filhos. Nas primeiras sextas-feiras, a família toda e os caseiros também iam para a missa reparadora, ninguém ficava em casa. Como sua mãe tinha os enteados e filhos menores, uma tia solteira, Jovina – apelido Dina – que morava com a família, assumiu grande parte dos cuidados com as crianças. Isabel se apegou muito a essa tia que foi sua madrinha de crisma. Todos os irmãos viveram uma infância feliz, num ambiente familiar de vida religiosa iluminada pelo exemplo dos pais. O Sr. Adolpho tinha um irmão sacerdote salesiano, Gasparzinho Dantas, que sempre teve contato muito próximo com a família e foi vigário em cidades paulistas, como Tietê. Irmã Rita era prima de I. Cacilda Ferraz do Amaral, sobrinha de D. Auta, e Irmã de São José, muito conhecida como Madre Cacilda.

 

Assim, na família, não faltou assistência religiosa, afetiva e educativa, sendo que os 4 irmãos de Isabel foram seminaristas a caminho de ser padres, mas participando de testes vocacionais, deixaram o seminário. As meninas, Isabel incluída, começaram a estudar piano bem cedo conforme acontecia na época, com as famílias que tinham alguma possibilidade.  O gosto pela música, a par do estudo de piano na infância, sempre foi presente em sua vida e depois de adulta, após concluir seus estudos universitários, começou a estudar Canto Lírico. Também gostava muito de dança e, diga-se de passagem, dançava muito bem.  Porém, nunca se interessou em conseguir um par mais definitivo.

 

Isabel aprendeu a ler ainda em casa. Depois frequentou o Grupo Escolar de Assis. Viveu na cidade até os 13 anos. Tendo concluído o curso primário foi fazer o curso ginasial interna no Colégio Assunção, das Irmãs de São José, em Piracicaba – SP, onde se encontrava a prima, Irmã Cacilda de São José. Quando concluiu o ginásio, tendo falecido seu pai, a família mudou-se para São Paulo onde Isabel continuou a estudar. Prestou vestibular e ingressou na Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da USP, no Curso de Letras Clássicas e Português e formou-se em 1943. Prestou concurso para Professora no Curso Secundário Oficial do Estado de São Paulo e foi muito bem classificada, sendo logo nomeada para o cargo de Professora de Português do Colégio Estadual de Bragança Paulista, passando depois por outros colégios estaduais.

 

A vocação à Vida Religiosa era um sonho antigo que foi crescendo desde que leu, ainda menina, a História de Uma Alma, de S. Teresinha. Ao longo dos anos, o chamado à Vida Religiosa Consagrada persistia até decidir responder generosa ao apelo do Mestre. Foi procurar sua prima, Madre Cacilda que era mestra de noviças em Itu e contou seu desejo. A resposta de Madre Cacilda foi uma confirmação de seu sonho: “Sempre percebi em você a vocação à VR, mas nunca quis tomar a iniciativa de dizer-lhe”. 

 

Isabel levou ao convento seus valores pessoais, o preparo e estudos que podiam ser úteis na Congregação. Demitiu-se do cargo de Professora do Curso Secundário Oficial de São Paulo e abandonou tudo pela Vida Religiosa. Entrou para o Postulado das Irmãs de São José, no dia 21 de janeiro de 1952. No dia 30 de julho do mesmo ano, recebeu o hábito com o nome de Irmã Rita de Cássia. Dois anos mais tarde, a 30 de julho de 1954, fez seus primeiros Votos e celebrou a Profissão Perpétua no dia 31 de julho de 1957.

 

Ao longo de 40 anos, estudo e Magistério em Língua Portuguesa foram o chão de Irmã Rita de Cássia, alternando trabalho e aprofundamento, ao longo de sua missão educacional como religiosa, a maior parte do tempo em Itu.  Professora Secundária no Colégio Patrocínio, e uns poucos anos em Piracicaba. Foi Professora e Vice-Diretora da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras N. S. do Patrocínio. Já antes de entrar na VR, era formada em Letras Clássicas e também tinha feito especialização. Em 1972 concorreu e obteve uma Bolsa de Estudos na famosa Universidade de Coimbra (Portugal) para especialização em Língua Portuguesa seguida de uma segunda bolsa na mesma Universidade. Aí formou-se em pós-graduação. Ir. Rita foi membro da Academia Ituana de Letras.

 

Em 1985 fez estágio de um ano e meio, em comunidades inseridas no meio do povo em Rubiataba – GO. Voltou ao Patrocínio onde não era difícil encontrar Irmã Rita pelas ruas da cidade, ora indo à Igreja como Ministra da Eucaristia, ou para presidir a celebração da Palavra, ora levando a Comunhão na casa de algum doente, cuidando da catequese de crianças, reuniões com os pais, etc. Enfim, aquela pessoa apostólica que não se entrega antes do tempo.

 

Em abril de 2009, para tratamento de saúde, foi transferida para a Casa de Repouso São José, onde sempre testemunhou boas relações e cordialidade. No dia 10 de setembro de 2019 completou 100 anos de vida. Comemorou o centenário com alegria no dia 14, sábado, numa bela Celebração Eucarística, seguida de confraternização, na qual ainda participou sua irmã Maria José, próxima de completar 102 anos em novembro. Louvando a Deus pelo testemunho de Irmã Rita, ouvimos palavras de carinho e gratidão pela Professora que ela foi, pela catequista, ministra, visitadora de doentes... tantos serviços comunitários prestados. Mais do que tudo, pelo seu modo de ser consagrada, religiosa, feliz Irmã de São José!  Assim abençoada, partiu para os braços do Pai, no dia 20 de setembro de 2019.

 

Querida Irmã Rita de Cássia, nas alegrias do Reino, lembre-se de nós!




topo voltar