Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Irmã Apolonia Armiliato

 23/01/1937     21/05/2013



Congregação das Irmãs de São José de Chambéry
Província de Caxias do Sul

Irmã Polonia Armiliato
* 23/01/1937
+ 21/05/2013
Nasceu em São Bernardo, município de Vacaria. Filha de Luiz Armiliato e Armelinda Slongo. Quarta filha de uma família de doze irmãos. Herdou dos Pais a vida de oração, de fé, senso de justiça e honestidade. Recebeu o Batismo no dia 27 de fevereiro de 1937 e a Crisma aos 18 de novembro de 1941. Família de ambiente favorável para o despertar do chamado à Vida Religiosa, pois teve o testemunho de numerosos religiosos e religiosas, Sacerdotes, primos e várias primas da Congregação de São José.

Irmã Polonia, ainda jovem, foi para o Juvenato. No dia 25 de fevereiro de 1954 ingressou no Postulantado e no dia 17 do mesmo ano foi admitida ao Noviciado. Fez seu primeiro engajamento aos 17 dias de dezembro de 1956 e o engajamento definitivo em 1962.
Exerceu sua missão, como trabalhadora incansável, não medindo esforços na defesa da saúde, tanto em Instituições como na medicina popular alternativa. Maravilhava-se com as curas que aconteciam através do tratamento pela Bioenergética e seguidamente exclamava: “Isto é coisa de Deus! Isto é coisa de Deus!” Sempre que era solicitada sabia orientar as pessoas na área de sua atuação.

Inicialmente fez o curso de auxiliar de Enfermagem e depois o Curso Superior em Nutrição – Coordenação administrativa de cursos de medicina natural em Equipes. Trabalhou trinta anos em Hospitais de várias localidades: Sananduva (São João Batista), Porto Alegre (São Pedro), Caxias do Sul (Pompéia), Garibaldi (São Pedro), Concórdia (São Francisco).

Irmã Polonia, preparando-se para a celebração dos 50 anos de Vida Religiosa, cita alguns acontecimentos marcantes em sua vida: o principal foi o envio para trabalhar na área da saúde, iniciando no Hospital São João Batista, em Sananduva. Assim ela se expressa: “Olhando para trás, vejo que foi uma graça, pois, a vida, a saúde, a doença são um universo muito grande”.

No seu jubileu de ouro lhe foi perguntado: O que significa viver a graça e a emoção de poder celebrar 50 anos de Vida Religiosa Consagrada? – Ela respondeu: “Celebrar 50 anos não é celebrar 50 dias”. São 50 anos vividos dia após dia, com altos e baixos, com dores e alegrias, com sol e chuva, com águas suaves e águas agitadas. Em tudo e sempre com a força da presença de Deus, meu Pai.

Celebrar é também agradecer, dizia ela. Em primeiro lugar, agradecer a meus pais. Graças a eles eu prossegui na minha vocação. Sobretudo, agradecer a Deus pela vida e por tudo o que d’Ele recebi. Agradecer à Congregação pelas inúmeras oportunidades que me ofereceu.

Participou do Ano Inaciano (1988-1989) em Lyon - França, na Federação Francesa das Irmãs de São José. Três anos depois, a pedido da Provincial, voltou para a Província de Chambéry, onde permaneceu três anos. Este período, dizia Ir. Polonia, foi um tempo de muitas graças.
A partir de 2001, assumiu com muito empenho a Pastoral da Criança, preparando pessoas voluntárias para esta missão tão importante.

A Palavra de Deus que sustentou sua vida e sua missão foi:
“O Senhor é minha luz, é Ele que me salva! De quem terei medo?”
“Jesus, Caminho, Verdade e Vida!”
“A verdade vos libertará!”
“Eu vim para servir e não para ser servido!”

Ao celebrar seus 50 anos de Vida Religiosa Consagrada deixou uma mensagem para as jovens vocacionadas: Aguce o ouvido interior, porque o Senhor a chama. Ele passa quando menos espera para conduzi-la. Não Tenha medo! “Eu a conduzirei!” Quando tudo parece perdido, Ele está ali bem perto, à sua frente e lhe dirá: “Não olhe para trás, olhe para frente!”

Para as Irmãs, na preparação da celebração do seu jubileu de ouro, partilhou esta prece: “Louvo-te e bendigo-te, ó Pai, com este hino. Revelas os teus segredos aos simples e pequeninos. Sim, ó Pai, quero bendizer-te porque me criaste e porque me recrias a cada dia com tua imensa bondade e teu infinito amor.” Ainda acrescentou: A vida é bela! O que importa é vivê-la, contemplá-la. Encantar-se por qualquer coisa, por mínima que seja. Tudo é graça e é de graça! A vida é fácil, as pessoas é que a complicam. E termina com esta expressão: “Tu me cativaste, meu Deus e meu Senhor, eu já não consigo esquecer teu amor!”

Está muito presente, neste imenso amor de Deus, a grande luta, que ela tinha, para continuar viver e servir. Porém, quando a doença a atingiu, foi deixando pouco a pouco o trabalho, que tanto amava, para dar atenção aos limites que seu estado de saúde vinha exigindo.
Foi acolhida na Comunidade Nazaré, em Caxias do Sul. Por um período longo de tratamento, procurando todos os recursos que poderiam aliviar sua dor e sofrimento, chegou o momento da entrega total nos braços do Pai. Partiu no dia 21 de maio de 2013.
Ir. Polonia, agora que você se encontra na morada eterna, intercede por todas as pessoas que você amou e serviu. Seja feliz para sempre! Um dia também nós nos encontraremos juntos no gozo eterno.
topo voltar