Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Henriqueta Françosi

 12/03/1932     17/08/2019



Congregação das Irmãs de São José no Brasil

Núcleo Bom Pastor

 

                                                                        Irmã  Henriqueta Françosi

                                                                                                            (Maria do Calvário Françosi)

                                                                                                                       * 12/03/1932

                                                                                                                      + 17/08/2019

 

                                                   “Como astros no mundo brilheis, pregando a Palavra da Vida!” (Fl2,15).

 

  Henriqueta Françosi, Filha de José Françosi e Brandina Moreira Françosi, nasceu em Iraí, Rio Grande do Sul, no dia 12 de março de 1932. Família numerosa, eram seis filhas e dois filhos. Todos educados nos princípios cristãos e nos valores evangélicos: respeito, solidariedade, responsabilidade e amor. Iniciaram, com pouca idade, o trabalho para o sustento da família que vivia numa época bastante difícil e não dispunha de recursos financeiros. Em busca de uma vida mais digna, a família mudou-se para a cidade de Joaçaba/SC.


Henriqueta, muito inteligente e ativa, aos 12 anos, começou um trabalho árduo para ajudar a família a se manter. Andava quilômetros para vender leite e verduras...


Sua família se reunia, à noite, com as famílias dos vizinhos para a reza do terço.


Os maristas que tinham um colégio perto de sua casa, numa visita, pediram aos seus pais que liberassem Henriqueta para auxiliar na panificadora, na fabricação de pães. Atendia, assim, diariamente, 200 pessoas, entre alunos e Irmãos Maristas do Ginásio, bem como desempenhava outras atividades da casa. Como ela era muito ativa e corajosa, aceitou o desafio e saiu de casa, para trabalhar e conhecer outras realidades.


Certo dia, um Irmão Marista do Colégio Aurora, da cidade de Caçador/SC, na visita, perguntou quem era a autora do delicioso pão. Então, convidou Henriqueta para ensinar o padeiro do seu Colégio. Henriqueta, na alegria e com disponibilidade foi enriquecendo seus talentos e qualidades manuais, acolhendo com generosidade os convites.


No momento da saída, o Irmão Marista, convidou-a para conhecer as Irmãs de São José que moravam no Colégio Nossa Senhora Aparecida-Caçador/SC. Foi acolhida com muito carinho pelas Irmãs. No fim do dia, elas perguntaram se ela gostaria de ser religiosa. Henriqueta não se manifestou, mas guardou tudo no seu coração. Ela gostava de ler revistas, cartas, e convites sobre a vida Consagrada. Após muita oração e discernimento, a semente do chamado começou a desabrochar e crescia o desejo de seguir Jesus Cristo, na vida Religiosa Consagrada. Resolveu, então, comunicar-se com as Irmãs do Colégio Nossa Senhora Aparecida/SC. As Irmãs enviaram as orientações que ela deveria seguir.


Expôs a seus pais seu desejo e a felicidade que sentia de fazer uma experiência nova, em busca do melhor caminho que devia tomar para a realização de sua vocação. Após muita conversa, diálogo, oração e aprofundamento da Palavra de Deus, com 24 anos, veio a Curitiba e foi recebida, no Postulado, no dia 29 de agosto de 1956.


          Estudou, nesta etapa, os assuntos alusivos à formação Inicial. No ano seguinte, dia 13 de julho de 1957, ingressou no Noviciado, continuou a formação e recebeu o nome Irmã Maria do Calvário. Fez a Primeira Profissão, no dia 27 de julho de 1959 e iniciou sua caminhada missionária, com entusiasmo, alegria, disponibilidade e doação, na Santa Casa de Misericórdia-Curitiba/PR.Após uns dias de trabalho, Irmã Henriqueta adoeceu e necessitou se internar num sanatório com pneumonia. Enfrentou a provação durante 1 ano de tratamento, com fé, esperança, e recebendo alta do Hospital, continuou o tratamento para a sua recuperação. Seu ideal era ser missionária, junto aos pobres e aos necessitados. Já recuperada, desempenhou com o auxílio da graça e ação do Espírito Santo, os serviços de Enfermagem no Hospital São Sebastião, Wenceslau Braz/PR; Escola de Enfermagem/São Paulo; Convento São José- Curitiba/PR; aceitou partir para a missão São Félix do Araguaia/Mato Grosso. Ali fez uma experiência muito sofrida, junto com o povo que vivia sob o regime militar, prisões, injustiças, exploração. Voltando, continuou sua missão, fiel ao projeto de Jesus e confiante na ação do Espírito Santo se envolvia, sempre mais, e com élan, na causa dos pequeninos e mais necessitados. Continuou se doando numa pequena comunidade da periferia de Curitiba. Logo foi solicitada sua presença de apóstola missionária, em Abaetetuba-Moju/Pará. Irmã Henriqueta não hesitou de dizer seu sim generoso. Lá, experimentou, em contato com as pessoas doentes, o que era ser pobre de verdade. Na época, não havia médicos para atender aquele povo, morria muita gente. Diante de tantas dificuldades e sofrimentos e falta de recursos, ela procurava tudo fazer para suavizar, um pouco, tanto sofrimento. Como era muito sensível e aberta às coisas de Deus, vivenciou um momento forte, a experiência do amor de Deus.


Foi enviada à missão de Mato Grosso. Poucos dias se passaram, muito alegre, disponível e generosa, totalmente entregue nas mãos amorosas de Deus, aceitou voltar a Curitiba/PR, para trabalhar, na favela Capanema, juntamente, com as Irmãs Bernardinas, numa realidade de risco. Entregou-se a este serviço com competência, colocando à disposição, sua ousadia numa travessia tão importante. Recebeu em troca, um grande aprendizado, enriquecendo sua vida e experiência missionária. Exerceu, também, a função de enfermeira com muito carinho, dedicação, doação e amor em várias comunidades de Curitiba/PR: Maternidade Nossa Senhora de Fátima; Maria; Siena; Grão Pará e Convento São José com as Irmãs idosas e doentes. Aproveitou o tempo disponível para se aprofundar, participando do curso sobre a Sagrada Escritura, no intuito de estar sempre envolvida com a Palavra de Deus. .Amava muito a vida comunitária.


Gostava de receber a visita de sua irmã e de sua sobrinha que necessitava de uma atenção e cuidado especiais para o seu desenvolvimento normal. Nas comunidades deixou marcas de sua alegria, sensibilidade, companheirismo e amizade.


Querida Irmã Henriqueta, suas coirmãs agradecem a Trindade Santa, a sua presença missionária, passando por várias realidades do nosso país, fazendo o bem, a exemplo de Jesus.


           Terminada sua missão nesta terra, partiu serena para a Casa do Pai com.87 anos de idade e com 60  anos de vida consagrada para a Eternidade e, assim poder contemplar a Face da Trindade, ser agraciada pela Ressurreição de Jesus e participar dos mistérios celestes e da Vida Plena. Na companhia de Maria, São José, seja nossa protetora e nos ajude a realizar travessias novas e corajosas na construção do Reino. 


 

ORAÇÃO A SÃO JOSÉ

Lembrai-vos ó São José, que jamais se ouviu dizer

 que alguém tivesse invocado vossa proteção e implorado

vosso auxílio e não fosse por vós atendido/a.  

             Com esta confiança dirigimo-nos à vossa presença.

A vós, com fervor, nos recomendamos.

Enviai à Igreja, vocações sacerdotais, religiosas

comprometidas com a construção do Reino de Deus.

Olhai com solicitude para as nossas famílias e

Comunidade, a fim de que guardemos com fidelidade o

dom da fé e da consagração batismal,

que nos une a Cristo e a serviço do seu Reino.

Não desprezeis as nossas súplicas,

mas dignai-vos acolhê-las favoravelmente.

                                       Amém.!









topo voltar