Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Ana Julia Slongo

 12/10/1922     26/05/2019



 Província da Congregação das Irmãs de São José de Chambéry no Brasil

                               Núcleo São José

 

                                             Nome civil: Anna Júlia Slongo

                                                                                  Nome Religioso: Irmã Graciema

 

                                                                                        *Nascimento: 12.10.1922

                                                                                        +Falecimento: 26.05.2019

 

         “Pai que todos sejam um” (Jo 17,21).

 

 

            A festa da vida acontece na medida em que se partilha o vinho da doação, do serviço, da alegria e da gratuidade.


            Em Ipê/RS, nasceu em 12 de outubro de 1922, Anna Julia Slongo, a caçula entre 14 irmãos e irmãs, filha de Angelo Slongo e de Angela Pollio. Aos dois anos de idade perdeu a mãe. O pai e os irmãos lhe dedicaram muito carinho e amor. Era amada e querida por todos.


            Em sua opção para a vida religiosa foi-lhe duro e difícil deixar o pai. Nascido na Itália, o genitor era um homem muito religioso, de fé e espiritualidade profunda, alimentadas na Palavra de Deus que partilhava com os filhos e filhas. Numa destas partilhas, Anna Júlia sentiu-se chamada a seguir Jesus Cristo, como consagrada na Vida Religiosa.


            A vivência cristã deste lar foi para Anna, uma força e uma luz em sua caminhada. De seu pai aprendeu a fazer o sinal da cruz de um jeito que o fez durante toda sua vida: “Em nome do Pai, que me criou, e do Filho que me salvou e do Espírito Santo que me santificou. Aos três agradeço o dia que começo. Amém.”


            Sua caminhada para a Vida Religiosa começou no Colégio São José, em Antônio Prado, junto com sua mana. Em 21 de fevereiro de 1943, com 21 anos de idade, ingressou no Postulado das Irmãs de São José, em Garibaldi.


            A perda da mãe e o deixar o pai, ao sair de casa, foram momentos dolorosos e difíceis em sua vida.


            Fiel ao chamado do Senhor prosseguiu a caminhada, iniciando o Noviciado em 18 de outubro de 1943. Fez sua Primeira Profissão Religiosa, em 19 de outubro de 1944.  Na Casa Provincial, em Garibaldi, começou sua missão apostólica como cuidadora do refeitório.


            Em 1947, alegre e feliz, partiu para Moutiers – França, integrando a Comunidade da Casa Geral, exercendo a mesma função de cuidar do refeitório e de estudantes. Com seu espírito jovem e missionário, presenciou as consequências e ruínas da guerra de 1939-1945. Ficou profundamente chocada com esta realidade. Foram momentos de dor e de saudades da pátria querida que deixou.


            Durante 25 anos exerceu seu apostolado na França, em Moutiers, Albertville e Aime como enfermeira e na Escola Doméstica, na formação de jovens e adolescentes, futuras donas de casa.


            Neste apostolado viveu com intensidade sua missão de Irmã de São José, sua vida e seus gestos expressavam o amor e o testemunho da missão de construir Comunhão e que se concretizasse o “Pai que todos sejam um”.


            Lembrava com saudades desta experiência missionária. Era um estímulo em sua missão de inserção junto aos pobres, excluídos que são os preferidos de Deus.


            Em 1972, a pedido da Superiora Provincial de Caxias do Sul, regressa ao Brasil para desenvolver sua missão apostólica na Bahia. Não foi fácil dar o seu “SIM”, mas generosamente renovou: “Pai, seja feita a vossa vontade”. 


            Em Alcobaça/BA, no Centro de Formação, inicia seu apostolado, doando-se aos menos favorecidos, ensinando corte e costura, trabalhos manuais, arte culinária e organização de hortas. Dedicou-se em visitar famílias, doentes, assentamentos dos sem terra, em marcar presença nos velórios e em animar círculos bíblicos. Durante 36 anos atuou em Alcobaça, Eunápolis e Itabela/BA. Em Itabela, fez também a experiência de viver com jovens vocacionadas e postulantes. Nos últimos anos em que viveu em Eunápolis, com sua saúde abalada, mesmo com dificuldades de visão organizou uma pequena farmácia. Incentivou a cultivar plantas medicinais e hortaliças. Sentia-se feliz e realizada como Irmã de São José, consagrada e enviada por Deus Pai-Mãe para ser entre os pequenos um sinal de seu amor. De fato, a festa da vida acontece à medida que se partilha o vinho da doação, do serviço, da alegria e da gratuidade.


            Irmã Anna Julia foi realmente um instrumento de paz, amor, unidade, de comunhão entre nós e os privilegiados do Senhor.

Lemos em suas anotações:


·       Senhor, sozinha, não chego a lugar nenhum. Contigo e com as pessoas vou para frente, apesar das dificuldades;

·       Jesus, presente no sacramento do altar, neste momento te adoro;

·       Maria, minha Mãe, que ensinaste a Jesus a caminhar para o Pai, ensina isso também para mim.


Com limites de saúde, foi transferida para a Comunidade São José do Patrocínio em Vacaria - RS. Lá continuou seu testemunho de oração e convivência fraterna.


No dia 26 de maio partiu para viver sua vida definitiva com Deus, contando com 96 anos de idade e 74 anos de Vida Consagrada a Deus, como Irmã de São José.

 

Querida Irmã Ana Júlia, junto a Deus, o grande amor e razão de seu ser e existir, interceda pela Congregação das Irmãs de São José, familiares, amigos e parentes que em vida você tanto amou e ajudou. Irmã, permaneça na paz do Senhor! Que seu exemplo de vida e testemunho como missionária e enviada suscite bons e santos missionários (as) nos lugares mais necessitados.


Irmã Anna Júlia, após missa de corpo presente realizada na Capela Funerária Sagrada Família, foi sepultada no Jazigo das Irmãs de São José, no Cemitério Santa Clara, em Vacaria/RS.

 

                                        Vacaria/RS, 26 de maio de 2019.

 






topo voltar