Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Maria Apparecida Prisnitz

 08/04/2036     13/03/2019



Província da Congregação  das Irmãs de São José de Chambéry no Brasil

  Núcleo Santíssima Trindade    

 

                                                                    Irmã Maria Apparecida Prisnitz

                                                                                                           * 08/04/1936     + 13/03/2019

 

 
 

 

 

“Em verdade eu vos digo que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes”! (Mt 25, 40).

 

O casal Luiz Prisnitz e Anna Helena Lyra eram filhos de imigrantes, estabelecidos na Colônia de Helvetia, perto de Indaiatuba – SP. O avô paterno era de Viena, Áustria. Pelo lado materno, a descendência era italiana. A família era muito católica e foi abençoada com 7 filhos, sendo que um menino faleceu aos nove meses. Ficaram três homens e três mulheres. Maria Apparecida foi a penúltima filha do casal. Nasceu no dia 08 de abril de 1936 e foi batizada nos mesmo dia, naquele tempo em que o padre só passava com pouca frequência nas comunidades cristãs. Um ano depois, a menina foi crismada, no mesmo dia 08 de abril.

 

Quando o pai faleceu, Maria Apparecida tinha apenas 4 anos e foi um grande sofrimento para ela e família.  Tendo 6 filhos pequenos, o maior tinha 12 anos, Anna Lyra foi com as crianças para a casa do avô. Aí rezavam o terço todos os dias, de joelhos e em Italiano. Oração e participação na comunidade alimentavam uma fé sólida e valores cristãos.

 

O dia da Primeira Comunhão era preparado com empenho e vivido com muita devoção. Foi nesse dia, aos 7 anos de idade que Maria Apparecida sentiu o apelo a ficar sempre perto de Jesus. Aquela festa foi muito linda, tudo bem arrumado tão bonito, era grande alegria de todas as pessoas. Sentiu o apelo, mas só falou com a mãe, 7 anos depois, aos 14 de idade.

 

Como Maria Apparecida conheceu as Irmãs de São José? Sua mãe, D. Anna fez uma cirurgia na Santa Casa de Campinas que naquele empo contava com a presença das Irmãs de São José.  Em conversa com D. Anna, uma Irmã falou de duas meninas que iam para o Juvenato em Itu, para ser freiras. Assim, foi ela que orientou também Maria Apparecida, já com 16 anos, para o Juvenato do Patrocínio em Itu – SP.

 

Antes de partir teve que fazer um acerto com o irmão mais velho. Ele não dispensava Maria Apparecida, pois, toda família estava empenhada em trabalhar para pagar uma dívida referente à um terreno recebido do avô. Ele faleceu antes de completar a doação e as pessoas envolvidas cobraram muito caro a documentação. A mãe interferiu em favor da filha. Que o mano a deixasse partir. Qualquer coisa, ela ainda prometeu voltar para trabalhar no pagamento desta dívida. Não foi preciso. Ao contrário, naquele ano, os manos fizeram uma colheita de arrombo. Não só pagaram a dívida como também o dinheiro ainda deu para comprar um lote para cada um dos quatro, na cidade de Indaiatuba.

 

Maria Apparecida entrou para o Postulado em Itu, a 31/07/1955. Percorrendo sempre com fidelidade, as etapas de sua Formação Inicial, recebeu o hábito no dia 31/01/1956. Fez seus primeiros votos a 11/02/1958 e a Profissão Perpétua 11/02/1963.

 

Maria Apparecida começou a frequentar a Escola Rural de Helvetia, que cursou até o 3°Ano. Mais tarde, no Patrocínio 1953, se preparou e fez um exame valendo pelo 4° ano primário. Com o Primário ficou habilitada a fazer vários cursos de Aprendizagem no Seminário da Glória - Curso de Costura, de Culinária, de Trabalhos Manuais. Depois, ainda no Seminário da Glória, teve a oportunidade de cursar as quatro séries do Curso Ginasial que completou em 1972. Ainda estava na Comunidade do Seminário quando cursou o Colegial no Colégio Piratininga, formando-se em 1974. Como formação profissional, cursou Auxiliar de Enfermagem na Escola de Enfermagem São José, São Paulo, em1975. E logo no ano seguinte, 1976, fez o Técnico de Enfermagem.

 

Na área de Enfermagem, ao longo de 43 longos anos, Irmã Maria Apparecida foi toda dedicação e serviço ao “querido próximo”, na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Doze anos e meio trabalhou na Cirurgia Geral e o restante, 30 anos e meio na Ortopedia. Ali deixou muitos amigos e amigas que ainda hoje a visitam. Uma característica de Irmã Maia Apparecida foi nunca se poupar em nada e estar sempre pronta a ajudar todo mundo em tudo o que estava a eu alcance. Cada Irmã que precisava, estava sempre pronta. Desligava logo o fogão e corria atender. Quantas vezes deixou as panelas da janta esperando para ajudar quem precisava.  A vida inteira levantou-se às 4:00 h da manhã para fazer a hora de oração, rezar o Ofício e depois participar da missa antes de começar a labuta do dia.

 

Nas suas palavras: “Hoje um sentimento me acompanha: Vivi plenamente para Deus. Tive falhas, é verdade, mas quem não tem?! Muito forte foi minha experiência da Terapia de Integração Pessoal, com a Abordagem Direta do Inconsciente. Tirei de mim duas toneladas de peso que eu carregava, "negativas” e que me faziam ser do jeito que eu era. Graças a Deus, me libertei. Me senti outra pessoa. Sinto-me plena, feliz, satisfeita. Nada me falta, nem material nem espiritualmente. A Província sempre fez tudo por mim. Tive dificuldade para fazer o último retiro em janeiro deste ano. Mas senti Deus falando comigo, me consolando. Sempre amei a vida comunitária. Fui criada na minha família para viver junto, não isolada”.

 

A 12 de janeiro de 2019, Irmã Apparecida foi diagnosticada com doença grave e passou a fazer tratamento ficando na Casa de Repouso São José, onde deu seu depoimento acima. No dia 13 de março, entrou para sempre, plenificada, na “alegria de seu Senhor”.

 

Querida, Irmã Maria Apparecida, na alegria da glória,

lembre-se de nós, peregrinas.

 

 









topo voltar