Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Zilda Hilda Marino

 14/02/1926     26/10/2018



Província da Congregação das Irmãs de São José de Chambéry no Brasil

  Núcleo Santíssima Trindade    

 

                                                                                   Irmã Zilda Hilda Marino

                                                                                           * 14/02/1926

                                                                                          + 26/10/2018

                                                                  “Senhor, o teu amor é melhor do que a vida!

                                                                 Por isso os meus lábios te exaltarão (Sl 63, 3).

 

O casal Emílio Marino e Graciana Caggiano tiveram 10 Filhos, sete meninos e três meninas, sendo Zilda Hilda a oitava.  Nasceu a 14 de fevereiro de 1926, na cidade de São Paulo - SP, num domingo de carnaval. Seus pais, de origem italiana, eram pessoas de muita fé e piedade e lhe deram uma formação bastante rígida, de acordo com a tradição familiar. Dois irmãos faleceram antes de Zilda nascer e quando ela era criança, partiu o caçula, com 6 anos. Grande sofrimento para a família!

 

Os pais lutaram muito para manter a família tocando um pequeno armazém, no Bairro do Brás. Conseguiam pagar estudo para os filhos homens, mas para as mulheres, além do curso primário, a educação era prendas domésticas, no caso de Zilda: trabalhos manuais, corte e costura, e piano.  O pai levava os filhos nas apresentações de um teatro italiano. Em casa, encantada, a menina Zilda cantava e dançava imitando a artista e dizendo: “Eu quero ser artista”. Ficou no sonho. Como profissional, Zilda trabalhou vários anos numa Loja de Costura de Madame portuguesa, devotíssima de N. Sra. de Fátima. Procurava ajudar as colegas a conhecer mais Jesus Cristo. 

 

Os pais faziam questão da prática religiosa dos filhos. Por causa no armazém, era complicado eles participarem, sendo que as missas só eram celebradas pela manhã. Por graça de Deus, terminaram a vida com Celebração Eucarística diária. Zilda fez sua primeira Comunhão a 15 de outubro de 1933 e logo em seguida foi crismada. A mãe, D. Graciana, participava do Apostolado da Oração. Zilda e a irmã se tornaram membros do Movimento Filhas de Maria. Nesse tempo foi uma graça participar do Congresso Eucarístico de 1942. Sentiu, a partir daí, o chamado de Deus.   Zilda passou a participar de um grupo vocacional que o vigário da paróquia acompanhava. Cada domingo, saiam para conhecer uma Congregação, com um bilhete do padre para que fossem atendidas. Foi uma ótima caminhada.  Chegava a hora da luta pessoal, era muito difícil deixar a família, sair de casa, etc..... Dizendo SIM, qual seria a Congregação? E outro problema: como enfrentar a família?

 

Há pouco, seu irmão Vicente, Congregado Mariano, estudante dos Irmãos Maristas, falara com os pais que queria ser Jesuíta.  De jeito nenhum, foi a resposta.   Teve de contentar-se em ser Sacerdote secular.  Depois de o irmão ser ordenado em 1946, no ano seguinte, aos 21 anos, Zilda falou com os pais. Nem pensar! Para não sair de casa sem o consentimento deles, Zilda aceitou esperar mais um ano.  

 

Zilda ainda tinha um porém: Escolher a congregação. Diante de duas possibilidades - ser Irmã Franciscana ou ser Irmã de S. José - fez uma novena a Nossa Senhora. Ao terminar, diante da Imagem, perguntou a Nossa Senhora, qual seria escolha. E sentiu a resposta:   Ser Irmã de São José. Enfim, a 18 de janeiro de 1948, entrou no Noviciado das Irmãs de São José, em Itu.  Como todos os dias 18, à noite, na hora Santa em honra de São José, Madre Cacilda fez a oração colocando diversas coisas do Pe. Médaille para refletir.  Tocada, a jovem postulante, chorou muito e agradeceu a Deus por tudo que estava acontecendo.

 

Não faltaram barreiras na sua caminhada vocacional. Enviada para casa, por problemas de saúde, teve que fazer o Postulado três vezes, mas nunca desistiu. Iniciou o Noviciado a 28 de julho de 1949, fez a primeira profissão a 31 de julho de 1951 e votos perpétuos a 30 de julho de 1954.  Muito feliz Irmã de São José, Zilda Hilda teve a alegria de celebrar jubileu de prata, de ouro e de diamante de sua consagração religiosa.

 

A caminhada missionária de Irmã Zilda é bem diversificada.  Ficou 20 anos em Itu, no Colégio Nossa Senhora do Patrocínio, cuidando de meninas internas e dando aulas de Piano. E ficou seis anos como auxiliar de mestra de Noviças. Em 1968, Irmã Zilda foi para Goiás, numa frente missionária, na prelazia de Rubiataba, onde ficou por seis anos, coordenando a comunidade e trabalhando na Pastoral na Paróquia.

 

De 1974 a 1976, em São Paulo, Zilda fez o Supletivo de Ginásio e Supletivo do Colegial. Treinou-se como voluntária no Serviço Social e fez Curso de Administração e Legislação Trabalhista.

 

Irmã Zilda deu importante colaboração na área de Formação. Fez parte da equipe e foi Mestra de Noviças. Na animação da Província, foi eleita para um mandato de Conselheira em 1982. Em seguida exerceu dois mandatos de Superiora Provincial até 1989 e mais um mandato de Provincial de 1996 a 2000. Além disso, I. Zilda marcou solícita presença em algumas outras comunidades. Na área da Espiritualidade, teve diversas e ricas oportunidades como a experiência do Retiro de 30 dias 1990. Depois disso, várias vezes ajudou nos Retiros de 8 ou de 30 dias, em Itaici.

 

A partir de 2000, trabalhou na Administração, em São Paulo. No dia 05 de abril de 2009, foi enviada para Itu, como Coordenadora da comunidade. Ultimamente, nesta comunidade, ajudava no que estava a seu alcance.  Com problemas de locomoção foi passar uns dias na Casa de Repouso São José, onde o Senhor veio buscá-la para o encontro definitivo, no dia 26 de outubro de 2018.

 

Testemunhos de Irmãs: “Irmã Zilda foi muito importante na nossa vida e caminhada”. I. Eliane Costa Santana / “I. Zilda era alguém que sentia com o coração. Seja feliz junto de Deus e obrigada por sua presença diferenciada em minha vida”. I. Iraci Cirino / “Qual das junioristas dos anos 80, no nosso primeiro encontro nacional, não se lembra da bondade e firmeza de I. Zilda”? I. Valesca de Mesquita Orsi. / “Em meados de outubro, vi I. Zilda, na CRSJ, senti que sua alma não nos pertencia. Ela estava a caminho, perto da casa do Pai.  Seu corpo parecia o grão de trigo se desprendendo e caindo na terra. Chegou o dia mais feliz de sua vida”!  I. Delcia Decker / “Nossa preciosa I. Zilda voltou para a casa do Pai. Corajosa, empreendedora, amante da vida religiosa, ela não media esforços em sua missão! Admirava sua honestidade e franqueza”! I. Stella Brunetta.

Do Assessor Lúcio Fonseca:  “Meus sentimentos profundos pela perda de uma pessoa tão especial. Não esqueço seus PowerPoint inspiradores. I. Zilda sempre me impressionou, por se manter conectada e atualizada, independente da idade. Que Deus tenha reservado um cantinho muito especial para ela, com um notebook novinho e acesso à Internet celestial, para que ela continue a nos mandar sempre suas mensagens inspiradoras. Vá em paz, querida I. Zilda”!

 

Louvamos e agradecemos ao Senhor pela longa e preciosa Vida de nossa querida Irmã Zilda Hilda Marino








topo voltar