Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

IRMÃ INÊS DE ASSIS (Lourdes Maria Primieri)

 24/04/1935     21/01/2013



O lar de Francisco Primieri e de Hermínia Zanella Primieri encheu-se de muita alegria, no dia 24 de abril de 1935, em Segredo, distrito de Vacaria, com a chegada da 1ª filha, a quem deram o nome de Lourdes Maria. O casal teve, depois, mais 14 filhos. Seus pais eram pessoas de muita oração e falavam muito sobre Santa Teresinha, o que despertou na filha o desejo de imitá-la. Por isso, aos 13 anos, pediu aos pais para entrar no convento para rezar. Esses não se opuseram, pelo contrário, apoiaram-na muito felizes e a levaram para Flores da Cunha.
Aos 12 de fevereiro de 1953, iniciou a etapa do Postulado, no Convento são José, em Garibaldi, e aos 15 de dezembro do mesmo ano, recebeu o Hábito das Irmãs de São José e o nome de Irmã Inês de Assis, começando assim o Noviciado. Por ser muito devota de Santa Teresinha, escolheu como lema: “Busca de Deus, através do exemplo de Santa Teresinha”. Em 18 de dezembro de 1955, fez sua Profissão Temporária pronunciando seus votos de Pobreza, Castidade e Obediência. Após cinco anos de experiência de vida comunitária e missão, fez sua Profissão Definitiva, aos 29 de janeiro de 1961, em Garibaldi.
Como ela mesma escreveu, buscava expressar o Carisma da Irmã de São José sendo participante da Divina Paixão pela humanidade, sentindo, vendo, percebendo a experiência humana do ponto de vista de JESUS CRISTO, para com o povo através da escuta, da solidariedade, da compreensão, vivendo a comunhão.
Irmã Inês de Assis viveu nas Comunidades do Hospital Nossa senhora da Oliveira, em Vacaria; na Escola de Enfermagem e na Escola Normal São José, em Caxias do Sul como estudante e Ajudante de enfermagem; no Colégio Sévigné, em Porto Alegre como estudante de Farmácia e Bioquímica na PUCRS. Onde se formou, em 1965.
No ano seguinte, em 1966, integrou a Comunidade Nossa Senhora de Lourdes, em Veranópolis, permanecendo até outubro de 2006, no Hospital Nossa Senhora de Lourdes e, depois, na Clínica. Sua formação como Bioquímica e Farmacêutica possibilitou prestar grandes serviços de saúde à comunidade veranense. No Laboratório de Análises Clínicas e na Farmácia, dedicava-se incansavelmente e, a qualquer hora do dia e da noite, sem queixas atendia a todos os que a procurassem.
Na comunidade apreciava muito os momentos de convivência, recreativos e da vida da comunidade. Pessoa alegre, disponível, sempre pronta a ajudar. Cultivava um grande otimismo. Generosa e responsável no trabalho que assumia como Missão.
Sempre muito acolhedora, conversava com as pessoas, dava orientações a todos que a buscavam e comunicava-se com facilidade. Era uma Irmã que buscava manter a alegria e prezava muito a União entre todas as pessoas. Por isso, uma das passagens bíblicas que mais a marcaram foi: “Não julgueis e não sereis julgados”.
Era sensível às situações de sofrimento dos outros e não lhe agradava quando alguém falava que estava doente. Ela mesma evitava falar sobre seus problemas de saúde.
Tinha cuidado especial com sua formação contínua, leituras, oração pessoal, participação na oração comunitária. Procurava manter-se atualizada nas notícias e, mesmo na doença, sempre gostou de ler o jornal e livros.
Tinha carinho especial com seus familiares. Os mesmos confiavam em suas orientações e conselhos.
Irmã Inês de Assis confiava em Deus e não temia a morte e um de seus desejos era não perturbar a comunidade e outras Irmãs por uma doença prolongada, porém frente à esquemia que sofrera, precisou acolher seis longos anos de enfermidade. Precisando de atendimento intensivo, foi necessário, então, ser levada à Comunidade Nazaré, em Porto Alegre. Aceitou tudo com alegria e esperança de recuperar-se e voltar à atividade que exercia. Diante dos limites que a vida lhe apresentava escreveu que sentia certa angústia, medo e insegurança, mas, ao mesmo tempo, sentia muita esperança na misericórdia de Deus Pai.
Durante este tempo sempre se comunicava com a comunidade e familiares através de cartas ou telefone. No ano de 2012, escreveu uma cartinha personalizada para cada Irmã da comunidade. Gesto que manifesta seu carinho e apreço para cada uma das Irmãs.
Acolhia as Irmãs, familiares e pessoas que a visitavam com alegria e seus olhos brilhavam, lembrando as vivências, os acontecimentos e desejando ter notícias das pessoas amigas e conhecidas. Ficava feliz ao receber quitutes, frutas, alimentos de que ela gostava e sabia saborear e valorizar, sendo sempre muito agradecida.
No dia18 de janeiro, quebrando o fêmur, foi internada no Hospital São Lucas da PUCRS, onde foi submetida a uma cirurgia, vindo a falecer na noite do dia 21 de janeiro de 2013, às 23h50min. Contava 77 anos de idade e 57 anos de Vida Consagrada. Seu corpo descansará no Jazigo das Irmãs de São José, no Cemitério São José, em Porto Alegre.

Querida Irmã Inês de Assis!
Obrigada por teu testemunho de vida,
de alegria e de disponibilidade constante.
Intercede, de junto de Deus, por teus familiares, pelas pessoas amigas
e pela Congregação que tanto amaste.
Fica com Deus!

Porto Alegre, 22 de janeiro de 2013.
topo voltar