Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Processo de Integração

INTRODUÇÃO

A reflexão, assumida por todas, teve como resultado a OPÇÃO POR UMA PROVÍNCIA ÚNICA NO BRASIL. A caminhada que temos que empreender agora, será mais longa que a anterior. Temos que “dar forma” a este novo modelo de organização. A “brisa leve do coração” percebida pelo Profeta Elias e cantada tantas vezes por nós, seguirá nos acompanhando.
Nas fichas 2 e 3 do trabalho anterior aos seminários já houve alguma sugestão do que vamos pedir agora. Lembramos que perguntávamos: “o que não se pode perder do que já existe e sugestões para os possíveis modelos”. Um dos modelos era a possibilidade de uma Província única. Tudo isto poderá ser aproveitado e temos certeza de que novas ideias virão. Entre todas faremos o caminho.
Os passos que seguiremos poderão ser sintetizados nas propostas feitas com a participação de todas novamente. Organizaremos esses passos em forma de fichas, com perguntas específicas para cada aspecto. Traçamos um tempo de 2 anos para realizar as tarefas que o MODELO nos pede, sem deixar de lado todo o trabalho que virá da Congregação em preparação ao Capítulo Geral de 2015.
Os passos registrados abaixo são globais. Vamos caminhando devagar com a postura de peregrinas que caminham em ritmo lento, mas constante e que sabem parar quando Ele se aproxime e pergunte sobre o que estamos conversando pelo caminho (Lc 24,27).
A nova Província exige uma coordenação para que possa haver uma boa animação e governo. Esta ficha tem a finalidade de fazer propostas para a constituição dessa equipe. Vamos tentar seguir o esquema que usamos em dinâmica de Leitura Orante da Palavra:

1. Partir da realidade
Tomar consciência da realidade existente e das necessidades que vislumbramos dado as distâncias, o número de Irmãs, as idades, as obras, o desejo de ser atendidas, etc.

2. Iluminação da Palavra de Deus e do Carisma
Rezar com o texto de Ex 18,13-27. É um texto chave para pensar na liderança da nova Província, pois se trata do processo que Moisés teve que empreender para mudar de mentalidade na hora de iniciar uma nova forma de animação e governo do Povo que estava sob sua liderança.
O texto evoca o que aconteceu na caminhada pelo deserto. O povo está ensaiando uma nova organização ou nova forma de animação e governo. Moisés, pautado no de sempre, ou melhor, no que havia aprendido na casa do Faraó, havia mudado o modelo, mas seguia com o mesmo estilo de animar e governar. O seu sogro, Jetro, foi o intermediário para ajudá-lo a proceder de uma nova maneira.
A intervenção de Jetro foi definitiva para realizar um governo no qual Deus lhe iria fazer saber os seus desígnios. Moisés conseguiria realizar a tarefa encomendada e todo o povo chegaria feliz à sua terra, isto é, seria alcançado o objetivo que eles se haviam traçado ao realizar a escolha (Ex 18,22-23). Neste momento, o Jetro será cada uma de nós que devemos pensar, não em outras que vão assumir a liderança, mas em mim mesma se o serviço coubesse a mim. Esse texto será rezado pela Bíblia e logo, para quem quiser, em hermenêutica da imaginação criativa.
Colocar aqui algum texto do Carisma ou constituições que possam ajudar - C. 03

Tentativa de aterrissagem
Tendo em conta a realidade da presença no Brasil e à luz dos textos bíblico e carismático, fazer propostas sobre:
a) Como deveria ser a Equipe Provincial: número de membros e complementariedade?
b) Quais as estruturas de participação são necessárias para a dinamização da vida e missão da Província? Defina suas atribuições?
c) Como poderia ser “desenhada” essa estrutura? (Recordar que temos algumas propostas de desenho na ficha 3 de preparação aos Seminários).
d) Onde é oportuno ser a sede da Província? (colocar o Estado e a cidade).

Devolver essa ficha, à Irmã de referência, até o dia 30 de maio de 2014.


topo voltar