Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Nossa História - Região Norte/Nordeste

NO PROJETO DE DEUS, O “PEQUENO PROJETO”
REGIÃO NORTE E NORDESTE DO BRASIL

“Caminheiro, você sabe, não existe caminho. Passo a passo, pouco a pouco e o caminho se faz.”
(Benedito B. Prado)

O Concílio Vaticano II convidou-nos como Congregação a voltar às fontes, a abrir as janelas e deixar entrar um NOVO sopro do Espírito Santo. Irmã Cecília Inês Muraro, então coordenadora provincial da Província de Caxias do Sul deixou-se tocar por este apelo, sopro divino. Participando de uma Assembleia dos Superiores Provinciais, no Rio de Janeiro, ouviu o pedido veemente de Dom Rino Carlesi, Bispo Prelado de Balsas. Prelazia esta situada ao sul do Maranhão, uma região vasta e extremamente pobre, quase que totalmente desprovida das vias e meios de comunicação. O apelo do bispo foi levado às comunidades da Província por Ir. Cecília Inês. A este convite nove Irmãs deram sua resposta e adesão. No dia16 de fevereiro de 1969, as nove Irmãs partiram de Caxias do Sul para Balsas, estimuladas por este significativo envio de Ir. Cecília Inês: ...“Nossa Congregação, fazendo parte da Igreja peregrina, que é por natureza missionária, como Cristo enviou os apóstolos, envia também suas filhas lá ‘onde a Igreja mais necessita e onde ninguém vai’ (RP). Atendendo os apelos da Igreja, com satisfação vemos concretizar-se também o desejo do Fundador de dilatar os espaços da caridade... As Irmãs, indo ao Nordeste, ‘vão realizar o desígnio do Pai que quer congregar, num só amor, todos os povos... Vão para realizar a Missão do Filho, enviado para evangelizar os pobres e salvar a todos, como servo de todos... Vão cumprir a Missão do Espírito Santo que, para todos os tempos, unifica a Igreja na Comunhão e no ministério dotando-a de vários dons’(Ad Gentes,4) ....” Dia 21 de fevereiro, as nove Irmãs chegaram a Balsas, sede da Prelazia. Foram acolhidas carinhosamente pelos Missionários Combonianos e pelo povo. Hospedadas no Seminário e após terem passado aí uma semana, as Irmãs formaram grupos de três e foram enviadas para seus respectivos lugares de missão: Balsas, Riachão e Paraibano. Três municípios cujas distâncias variam de 60 a 300 Km. A precariedade das estradas e dos transportes tornava muito difícil a comunicação. Os encontros entre as Irmãs aconteciam normalmente uma vez por ano, por ocasião das Assembléias da Prelazia. Nos anos seguintes mais Irmãs chegaram a esta missão, provenientes das províncias de Lagoa Vermelha, Curitiba, São Paulo, Porto Alegre, assim como da França (Congregação de Chambéry e Congregação de Lyon. Assim, nesta “INTEGRAÇÃO E INTERRELAÇÃO”, outros municípios em diferentes Estados do Brasil e até países, puderam ou ainda podem contar com a presença missionária das Irmãs: São Raimundo das Mangabeiras; Pastos Bons; Mirador; São Domingos do Maranhão; São João dos Patos; São Luis e, mais tarde, Remanso na Bahia; Marituba no Pará; Nova Olinda, Autazes e Manaus, no Amazonas; França; Suécia; Moçambique e Tanzânia. Esta caminhada foi se fazendo e, aos poucos, tomando um rosto próprio . De 1969 até 1976 permanecemos ligadas à Província de Caxias do Sul, com certa autonomia de organização interna. De 1976 a 1981, formamos um Regional (três Estados: Bahia, Pernambuco, Maranhão), com uma coordenação local, tendo como referência a Província de Caxias do Sul. Em 1981, tornamo-nos Província do Maranhão, sendo que as Irmãs do Sul da Bahia ficaram vinculadas à Província de Lagoa Vermelha e as de Pernambuco, a Caxias do Sul. Assim permanecemos até 2001, quando, interpeladas pela Congregação e olhando nossa própria história e caminhada missionária, respondemos ao desafio de assumir outra estrutura. Em Assembleia Capitular, após muita reflexão, oração e discernimento nos organizamos como Missão, denominada “Irmãs de São José de Chambéry, Missão Norte e Nordeste do Brasil”, Projeto este assumido Ad experimentum ( por três anos e renovado por mais três). Na Assembleia de 2006, nos definimos como Região Norte e Nordeste do Brasil. Assim fomos crescendo na corresponsabilidade, no exercício do poder participativo e nas relações circulares. As comunidades com mais autonomia foram crescendo na consciência de corpo congregacional. O processo formativo para jovens, nesta realidade, inicia-se em 1975 com a abertura do Postulantado e Noviciado em São João dos Patos. Em 1978, a 1ª Consagração. De 1997 a 1999 o Noviciado foi transferido para Marituba, no Estado do Pará, tendo em vista maior aproximação da realidade cultural do Norte e maiores oportunidades para a formação aí existentes. Nos anos subsequentes, o Noviciado passou a ser Interprovincial. Na fidelidade dinâmica e criativa como nos pedem as Constituições, os Capítulos Gerais, a realidade e a profissão, nos mantivemos atentas ao compromisso da formação continua pessoal, comunitária e grupal, na participação e contribuição com as iniciativas da Congregação a nível de país e de mundo. Nossa presença missionária nesta realidade, iluminada pela prática de Jesus de Nazaré, levou-nos a uma maior inserção nas periferias das cidades e ocupações, formando e acompanhando lideranças nas Comunidades Eclesiais de Base , nas Escolas de Formação Bíblica e de Lideranças cristãs ,na formação humana e profissional de jovens e adolescentes das zonas rurais. Para responder às graves situações na área da saúde, dedicamo-nos à formação de parteiras e agentes de saúde, ao atendimento nos postos de saúde e hospitais, em centros de alimentação para crianças desnutridas, na medicina preventiva e curativa, fitoterápica e nutricional. Apoiamos e assessoramos Entidades como Conselho Indigenista Missionário –CIMI, Comissão Pastoral da Terra-CPT, Sindicatos Rurais, Associação de Mulheres, Campanhas e Movimentos Sociais, Conselhos Municipais, com ênfase nas Políticas Públicas. Desenvolvemos oficinas de artesanato, música e inclusão digital junto a crianças, adolescentes, jovens e mulheres. As Igrejas Locais sempre contaram e contam com nossa contribuição na ação pastoral, servindo na diaconia da escuta, da visitação, acompanhamento a grupos e pastorais, na dinâmica de mútuo apoio. Assumimos o trabalho profissional na ótica da missão, sendo presença em Escolas públicas municipais e estaduais, na área do Serviço Social , nos Centros de Formação, nos hospitais e postos de saúde, também como garantia de sustento por nosso trabalho. Hoje, somos 24 Irmãs, uma presença nas comunidades de São João dos Patos, São Raimundo das Mangabeiras e São Luis – no Maranhão; Remanso , na Bahia, Marituba, no Pará e Manaus – no Amazonas e em missão Ad Gentes na Tanzânia e Moçambique.

topo voltar