Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Notícia
10/04/2018
Bom Jesus Joana D'arc


100 ANOS  ESCREVENDO HISTÓRIA, CONSTRUINDO TRADIÇÃO


No dia 28 de março celebramos o centenário da chegada das Irmãs de São José na cidade do Rio Grande/RS. Uma missão que exigia amor e desprendimento para se ajustar a realidade da época e oferecer um espaço educativo de qualidade as jovens moças do Município.  Assumida com fé, coragem e comprometimento a presença da Congregação, assim como a semente de mostarda, germinou tornando-se uma  arvore frondosa, oferecendo frutos saborosos de justiça, paz e verdade neste chão sagrado. Várias atividades ocorreram ao longo destes dias celebrando este evento.


MEMÓRIA AGRADECIDA - Tudo começou com o convite de Dom Francisco de Campos Barreto, primeiro bispo da diocese de Pelotas, que pediu a Superiora Provincial Madre Joana Vitória que enviasse Irmãs para este apostolado.  A exemplo das primeiras Irmãs no início da Congregação, seis Irmãs: Maria Felicidade (M. Justina Duc); Joana (Carmella De Vale); Theresa (Julia Santi); Adelina (Stella Piazza); Emerenciana (Fortunata Pedó); Affonsina (Afonssina  Maria Carraro), aceitaram o convite de colocar-se a caminho. Guiadas pelo sopro do Espírito, a mão protetora de São José e de Santa Joana d’Arc, iniciaram uma missão que seria para toda a cidade e região, um farol a sinalizar o bem, a verdade, a justiça e o conhecimento. Pioneiras na educação formal e cristã atuaram preferencialmente com jovens moças, fundando-se assim o Colégio Santa Joana d’Arc. A chegada das Irmãs foi motivo de alegria para todos os moradores do município. Logo estes se mobilizaram para conseguir um espaço, durante um longo período alugado, para que a escola pudesse funcionar. Somente em 1919, foi adquirido um terreno próprio no qual seria erguido o espaço que se tornaria, conforme o prefeito da época na inauguração da obra exclamou, “templo da virtude, da ciência e da Arte”.


Tal com o grão pequeno, escondido a missão das Irmãs foi crescendo e espalhando seus ramos. Percebemos isso quando estas assumem também outras duas escolas, em 1926 no Grupo escolar Comendador Reingantz e 1938 na Escola Jesus, Maria e José, que posteriormente passou a ser chamado Colégio São Luiz. Além da educação, elas se dedicaram ao trabalho de evangelização na Vila Cedro, comunidade carente do Rio Grande. Em 1962 a comunidade assumiu um trabalho social no bairro Getúlio Vargas.  Aos poucos a realidade foi mudando e exigindo novas e criativas respostas ao grupo.


Desde então, são incontáveis as alegria, desafios e sentimentos que se tornaram vida, perpetuando valores, gestos de solidariedade no passado e hoje, no renovado compromisso com a intuição inicial da obra, na vivência de atitudes e virtudes, como Bom Jesus/Joana d’Arc.


Ao fazermos memória agradecida das corajosas Irmãs que nos precederam, oferecemos ao Senhor nossa prece a todas as Irmãs de São José, a Escola Bom Jesus/Joana d’Arc: Gestão, colaboradores e alunos,  e ao povo rio-grandino que em diferentes épocas responderam e respondem com fidelidade o compromisso assumido, que dedicaram e dedicam  o melhor de seu ser e saber, no intuito de fazer da missão cotidiana um espaço de fé, vida e  aprendizado para a construção da unidade e da paz.

                                                                                                                                                                                   Irmã Arzila Pertile– Rio Grande/ RS

 







Galeria de imagens

(30 imagens)

Envie seu comentário

*Campos marcados com  barra são de preenchimento obrigatório.
topo voltar