Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Guiomar Teresinha Chemello

 28/10/1935     07/08/2018



PROVÍNCIA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS DE SÃO JOSÉ DE CHAMBÉRY

NO BRASIL

 

Núcleo Sagrada Família

 

                                                                                             Irmã Guiomar Theresina Chemello

                                                                                                                       *28/10/1935

                                                                                                                       +07/08/2018


Guiomar Theresina Chemello, filha de Leonardo Chemello e Cecília Dall’Alba Chemello,  nasceu em São Marcos/RS, em 27 de outubro de 1935.


Seus pais, de profunda fé cristã, levaram-na à Pia Batismal, na Paróquia de São Marcos, em 29 de dezembro de 1935. Foi crismada na mesma Paróquia, em 02 de maio de 1939.


Quem era Irmã Guiomar?


A forte percepção de ser amada por Deus, o desejo de ser toda para Ele e ser um instrumento em suas mãos, motivaram Guiomar a estar a serviço da vontade de Deus, na realização de seu projeto, por uma presença simples, discreta, humilde, sempre disponível e pronta para responder aos desafios.


Como Guiomar nos conta a história de sua vida.


“Desde criança senti o desejo de me tornar irmã. Atribuo ao fato de frequentar, desde os três anos de idade, a Escola dirigida pelas Irmãs de São José, à oração de meus pais e ao apreço que tinham pela Vida Religiosa, pelo testemunho do Pároco da cidade, ao terço diário rezado em família, durante o qual a mãe sempre acrescentava uma Ave Maria a Santa Teresinha. Ao receber o hábito religioso, fiquei sabendo qual a intenção desta Ave Maria: a graça de ter uma filha religiosa. A vida das Irmãs me atraía, mas não ousava manifestar publicamente, pensando que não acreditariam em mim, pois era muito pequena.


 Aos dez anos fui para o Juvenato de Flores da Cunha onde passei um ano muito feliz. No início do ano seguinte, já em Garibaldi, por sintomas de doença fui reenviada à família, onde passei o restante do ano. Após insistências, obtive permissão para voltar ao Juvenato. Depois de dois anos, de novo fui reenviada à família, para ficar mais um ano em casa. Não entendi as razões. Chorei muito e, após seis meses, por meio da Superiora de São Marcos, consegui voltar. Passei mais dois anos e meio de Juvenato e fui despedida. Grande sofrimento! pois amava a Vida Religiosa. O mundo não me atraía e meu desejo de ser irmã continuava e, curiosamente, minha inclinação era ser Irmã de São José e, não podendo, meu sofrimento foi grande. O convite de outras três Congregações não me atraía.


Concluí o Curso Normal. Uma pergunta de uma Irmã de São José, colocou em mim um raio de esperança e pela 4ª vez, tornei a pedir para entrar na Congregação. Após um ano de insistência, foi-me dada resposta afirmativa.  Lembro minha felicidade e a admiração de meus pais e pessoas mais achegadas, com esta minha decisão, comunicada somente depois da resposta afirmativa da Provincial de então.


Entrei no Postulado em 22 de fevereiro de 1956. Percebi aí a mão amorosa de Deus conduzindo-me pelos caminhos que Ele quis para mim. Foi um acontecimento forte na minha experiência do amor de Deus, que foi crescendo em cada acontecimento de minha vida e especialmente no Noviciado, ao qual fui admitida em 14 de dezembro de 1956. Em 29 de janeiro de1959, fiz minha Profissão Temporária e, em 29 de janeiro de 1964, fiz minha Profissão Perpétua.


Além do Curso Normal, cursei Pedagogia para melhor exercer minha missão profissional. Para minha formação religiosa, como consagrada, foi-me possibilitado o CETESP, o Retiro de 30 dias e a Participação no Projeto Interprovincial de Formação Permanente (II e IV).


Sempre me senti feliz onde a Congregação pediu meu serviço e ali procurei dedicar-me com responsabilidade. Dei o melhor de mim na missão educativa, trabalhando no Colégio São José de Pelotas, Colégio São José de Montenegro e Regina Coeli de Veranópolis. Exerci o serviço de Coordenação Provincial por quatro triênios. Cada vez, um forte ato de obediência, de disponibilidade, de acolhimento da vontade de Deus, e de abandono diante de minha fraqueza e limitações pessoais: timidez, temperamento introvertido, falta de coragem para enfrentar certas situações, o diferente de minhas convicções e tendências mais negativas do que positivas. Humanamente, não compreendia que certas coisas me fossem pedidas. 


O mais difícil foi assumir a nomeação, pelo Conselho Geral, para Provincial Internacional formada pelos distritos da Libéria, Estocolmo e Paquistão. Se foi a mais difícil, ao mesmo tempo foi a experiência mais forte do amor de Deus agindo em mim e por mim.


A visão da Congregação, que o fato de ser Provincial me proporcionou, bem como a participação em encontros internacionais, me fizeram amar sempre mais a Congregação que escolhi como minha família.


Uma das experiências mais felizes de minha vida, foi a missão em Dix-Sept-Rosado/RN, por três anos. Missão que me permitiu entrar na vida das famílias, das comunidades rurais, dos assentamentos e sítios, coordenando reuniões em nível zonal, diocesano e de CRB.


Transferida para a Casa da Criança, em Rio Grande /RS, assumi a coordenação da Comunidade São José e dediquei parte do meu tempo à Pastoral diocesana, articulando Catequese, Liturgia e Pastoral do Batismo, e coordenando o Núcleo dos Religiosos. Muito gratificante foi a possibilidade de me dedicar à formação dos Leigos e Leigas do Pequeno Projeto, que abracei com o maior carinho.


Em 13 de fevereiro de 2013, para cuidar de minha saúde, integrei a Comunidade Santa Joana d’Arc, assumindo serviços comunitários diversos, coordenando o Grupo dos LLPP da Província e acompanhando os grupos de LLPP de Rio Grande.


Amo a Vida Comunitária como grande dom e ajuda no crescimento pessoal e na vivência de consagrada. Valorizo a aceitação mútua, a entreajuda, a oração pessoal e comunitária, a busca conjunta, a fraternidade, a partilha e o respeito. O exercício do discernimento, de entrega nas mãos de Deus, de senti-LO junto a mim, me ajudaram a ser feliz e aceitar as experiências mais difíceis.


Agradeço a Deus os dons que me concedeu: inteligência, memória, certa liderança, amor à simplicidade, à fidelidade, à responsabilidade, à convicção e à FÉ.  O espírito de serviço e doação, o sentir-me amada por Deus e, em geral, pelas pessoas, os trabalhos que me foram confiados, alguns desafiadores, me ajudaram a desenvolvê-los e a vencer minha timidez, medo de errar, e algumas incompreensões.


Volto meu olhar para o Coração de Jesus que amo desde criança, para Jesus o Bom Pastor, a Deus Pai misericordioso, à Eucaristia e a Maria minha Mãe,  para que me ajudem a enfrentar o que está por vir, sem medo, na confiança de que “ tudo posso naquele que me conforta”.


Em 12 de novembro de 2015, Irmã Guiomar, muito debilitada, foi transferida para a Comunidade Nazaré, onde recebeu cuidados especiais para tratamento de saúde, descanso e oração.


Depois de longos anos de sofrimentos, sempre atendida com carinho e dedicação das Irmãs enfermeiras, da médica Dra. Marília S. Vedana e das funcionárias da Casa Nazaré, acolheu o chamado de Deus para o encontro com Ele na madrugada silenciosa do dia 07 de agosto de 2018, com 82 anos de idade e 59 anos de Vida Religiosa. O sepultamento se realizou no Cemitério de Caxias do Sul, no Jazigo da Família Chemello.


 

ORAÇÃO

 

Irmã Guiomar, tua vida foi exemplo de total doação ao serviço do Reino de Deus.

 A cada um dos muitos chamados que Deus te fez,

 respondeste prontamente SIM,

vencendo a timidez e contando sempre com  sua graça.

 Tu conhecias teus limites,

 mas a certeza de seres amada por Deus,  te fazia vencer cada desafio que   te era feito.

Obrigada, Irmã Guiomar, pelo teu exemplo de vida!

Hoje, deste teu SIM definitivo ao chamado que Deus te fez

 para  ocupares o  lugar que Ele, carinhosamente, te preparou.

Irmã Guiomar, agora que estás junto de Deus, pede por nós tuas Irmãs de Congregação, teus Familiares, amigos e amigas para que  sejamos fiéis

aos chamados que Deus nos faz, cada dia, para a construção de seu Reino. Amém.

 

 

 

Porto Alegre, 07 de agosto de 2018.






topo voltar