Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Maria das Neves Borghetti

 02/02/1932     31/07/2018



Província da Congregação das Irmãs de São José de Chambéry no Brasil

                                                               

                                                                                                           Vida De Irmã Maria Das Neves Borghetti

                                                                                                                                    * 02.02.1932

                                                                                                                                                                           + 31/07/2018


                                                                                                                                 “Eis que venho, Senhor, para fazer a tua vontade!            

                                                                                                                                                                            Sim, Pai!”

 

Esse foi o lema de vida de Irmã Maria das Neves. Ao tomar suas decisões ou nas dúvidas, sua primeira atitude era a de discernir para perceber qual era a Vontade de Deus. E, segundo ela, isso muito a ajudava a viver em paz.


Irmã Maria da Neves nasceu no dia dois de fevereiro de 1932, em Flores da Cunha, RS. Era a primogênita entre os seis filhos de Horácio e Teodolinda Soldatelli Borghetti. Os pais eram de princípios cristãos e incutiam nos filhos os valores da fé, esperança e caridade como inegociáveis.


Tendo como fundamento essa riqueza de vida religiosa, não foi difícil para Maria Antonieta, foi esse o nome que recebeu no dia de seu Batismo, discernir e responder com generosidade o chamado que Deus lhe fez para segui-lo na Vida Religiosa Consagrada. No dia 15 de dezembro de 1952, fez o primeiro engajamento na Congregação das Irmãs de São José, assumindo assim a vivência da missão de estar a serviço dos irmãos e do Carisma de Comunhão.


A partir desta data, iniciou sua missão educativa como professora, secretária ou diretora em Colégios da Congregação, nas cidades de Antônio Prado, Porto Alegre, Lagoa Vermelha, Concórdia e Garibaldi, onde permaneceu como Diretora da Escola Santa Inês por um período de 17 anos. Exerceu ainda as funções de Assistente Provincial e de Superiora Provincial no período de 1975 a 1978. E em diversas comunidades onde residiu, coordenou a vida, a organização e a missão das Irmãs, ajudando-as, sobretudo, na vida de União com Deus e na vivência do Carisma de Comunhão.


Participou de cursos e coordenou grupos das Oficinas de Oração e Vida, vivendo e transmitindo o conteúdo de busca do Deus Vivo.


Em 2000, assumiu trabalho Pastoral na Paróquia São Pelegrino, em Caxias do Sul. Atuou nas Equipes de Liturgia e Canto nas comunidades por onde passou. Tinha grande amor à vivência litúrgica.


Era pessoa alegre, sempre com muita disposição para estar com as Irmãs e de participar de encontros de confraternização quando convidada.


Lançando um olhar de contemplação sobre a própria vida, dizia que o Senhor foi generoso em todas as etapas de sua existência, que Ele a conduzia em todas as circunstâncias. Muitos foram os meios que ela empregava para ser fiel à Vocação: a oração diária, a celebração eucarística, a convivência fraterna, leituras, acompanhamento espiritual, retiros...


Com Maria, aprendeu a escutar e acolher a Palavra de Deus. E assim se expressava quando falava da Santíssima Trindade: “Estar com a Trindade é compreender a realidade, é ter a capacidade de ver a própria História inserida na História da Salvação”.


Em 2002, completou 50 anos de Vida Religiosa Consagrada. E apesar dos muitos anos, confessava: “O número oito das Constituições das Irmãs de São José continua sendo um desafio: Ser chamada a identificar-me com Cristo, num processo de aniquilamento”. E nessa ocasião, ainda, ela nos deixou uma bela mensagem quando disse: “Sejamos, cada dia, pessoas agradecidas, vivamos bem o momento presente, olhemos e deixemo-nos olhar pela pessoas do Senhor Jesus na busca da concretização do Carisma de Comunhão”  

      .

Tinha um grande carinho e amor aos familiares. Gostava de partilhar a figura do pai como sendo uma pessoa compreensiva, terna, acolhedora, bondosa, e era assim que vivia sua relação com Deus Pai: como uma filha amada.


Abalada em sua saúde física, ainda reunia forças para visitar os doentes do Hospital Pompéia e outros, levando-lhes o conforto da Palavra e da Eucaristia.


Nos vários momentos em que a doença a visitou mais de perto, sempre manifestou fé e segurança em Deus Pai. Faleceu no dia 31 de julho de 2018, com 86 anos de idade e 66 de Vida Religiosa Consagrada.


Querida Irmã Maria das Neves, que partiste, e não sem sofrimento, para a casa do Pai, pedimos que Ele te acolha como filha bem amada. Pede-lhe que abençoe abundantemente a Congregação das Irmãs de São José a quem serviste com amor e dedicação. Que cresça em cada Irmã a convicção de que tudo é relativo a não ser Deus e seu Projeto de amor: Que todos tenham vida e a tenham em abundância. Obrigada por tua vida alegre e generosa, pelo testemunho de doação, pelo ministério educativo e pelos dons colocados a serviço dos irmãos e irmãs. Intercede também pelos teus familiares, pelas Irmãs e Funcionários que de ti cuidaram nesses últimos anos.


Descansa na paz do Senhor.

 

Garibaldi, 1º de agosto de 2018.

 

 

 

 

 





topo voltar