Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Rosa Pasa

 15/02/1920     25/05/2018



Congregação das Irmãs de São José de Chambéry no Brasil

                                                                                                 Irmã Rosa Pasa

                                                                                                  * 15/02/1920

                                                                                                  + 25/05/2018

 

                                                                                     “Quem vos recebe a Mim recebe”. (Jo 25,38)

“A exemplo de São José, vivamos entre nós e no serviço do próximo, relações de simplicidade e cordial caridade.” (Constituições: nº 11)

 

Irmã Rosa Pasa, filha de Giacomo e Luigia Bet Pasa, nasceu no dia 15 de fevereiro de 1920 em Nova Roma do Sul. Os pais eram agricultores e profundamente católicos. Acolheram cada um dos 13 filhos como verdadeiros presentes de Deus. A chegada de cada irmão era celebrada com alegria. Zelosos na vivência da Religião, os pais procuravam dar aos filhos princípios sólidos baseados na fé e nos valores humanos e cristãos como a honestidade, a simplicidade, a oração, a alegria, o cultivo de amizades. Tinham sempre uma atenção especial com os vizinhos e pessoas que passavam por alguma necessidade. Na família, duas filhas seguiram a Vocação Religiosa e três filhos, pertenciam à Congregação dos Irmãos Maristas. A Família era unida, alegre, entre eles existia amor, proteção e acolhida.


Irmã Rosa contava que aprendeu o Catecismo com a avó e que aos sete anos fez a Primeira Comunhão.


Foi em Nova Roma do Sul que teve seu primeiro contato com as Irmãs de São José quando estudava no Colégio administrado pelas Irmãs. Atraída pelo exemplo e pela vontade de seguir Jesus, decidiu, em 1939, entrar na Congregação das Irmãs de São José em Garibaldi, ingressando no noviciado. Em, 1940 fez o Primeiro Engajamento e no mesmo ano, foi enviada em missão para o Colégio São José de Pelotas onde permaneceu durante 41 anos exercendo diversas atividades entre elas a de recepcionista. Por ser uma pessoa de paz, comunicativa, de bom relacionamento, de oração, firme e fiel à Vocação, foi solicitada a integrar a Comunidade Interprovincial do Noviciado em Porto Alegre. Ela mesma confessava o quanto lhe custou essa transferência, mas aceitou com generosidade e por amor. Integrou ainda as comunidades das Irmãs em Flores da Cunha, Antônio Prado, dos Bairros Pioneiro, Cruzeiro, Planalto II e a comunidade da Rua Garibaldi em Caxias do Sul. Em 2008, passou a residir em Garibaldi na Comunidade da Betânia.


Sua alegria, disponibilidade, dedicação e acolhida eram conhecidas de todos os que com ela conviviam.


Irmã Rosa, em todas as comunidades e nas suas várias funções, viveu com fidelidade o Carisma das Irmãs de São José, procurando construir comunhão com Deus, com as irmãs e com todas as pessoas. Na simplicidade de sua vida, apreciava as maravilhas da natureza como obra de Deus Criador e erguia seu hino de louvor pela beleza de uma flor, pela água, pela chuva, pelas frutas que tanto apreciava, pela praia. Participava da vida comunitária e era fiel aos compromissos assumidos.


Era calma, alegre e amiga. Possuía mente jovem e aberta às inovações de cada época, procurando adaptar-se e incentivando outras pessoas a fazê-lo.


Nos momentos de lazer costurava, fazia tricô, crochê para doar aos pobres. Gostava de assistir televisão, especialmente à Rede Vida.


Era fiel à oração diária. Sempre que podia, participava da celebração Eucarística.


Ao completar 70 anos de Vida Religiosa Consagrada, Irmã Rosa expressou toda sua felicidade de viver e foi uma das oportunidades de revelar uma das grandes características de sua vida: o de ser agradecida a Deus, à Congregação, às Irmãs com quem conviveu nas diferentes comunidades, aos parentes e pessoas amigas. Ela dizia: “Para mim essa data me levou a olhar e sentir o quanto fui amada por Deus, pelos meus pais e pela Congregação”.


Sentindo a saúde fragilizada, não desistiu da vida, alimentava continuamente a esperança e renovava constantemente sua entrega filial a Deus. E dizia: “Mesmo acamada, sei o quanto sou importante para Deus e o quanto é necessário cuidar, respeitar e cultivar a Vida que o Senhor nos dá como o grande Dom”.


Hoje celebramos a festa de Nossa Senhora de Caravágio, Padroeira da Diocese de Caxias do Sul. Acreditamos que Maria, Mãe de Jesus e nossa Mãe, atendendo a tantas preces feitas por Irmã Rosa, especialmente, a oração do Terço que rezava diariamente, a acolhe no Reino de Jesus onde para sempre gozará da felicidade eterna que o Senhor reserva para quem O ama e O serve nesta vida com amor.


Partiu para a casa do Pai no dia 25 de maio de 2018, aos 98 anos e 78 de Vida Religiosa Consagrada.


Obrigada, Irmã Rosa, por teu exemplo de vida, por tua generosidade, tua acolhida, obrigada pelo serviço prestado por tantos anos à Congregação de forma tão generosa e tão escondida. Deixas-nos o grande exemplo de que tudo vale a pena quando é o amor que move nossos atos, desejos e nossos sonhos. As Irmãs de São José, teus familiares, agradecemos pelo dom precioso que foi tua vida.


Junto a Deus intercede por nós que continuamos a caminhada, para que possamos ser fiéis aos apelos do Senhor. Suplica ao Senhor da Messe, a São José e a Nossa Senhora que enviem vocações para a Igreja e para a Congregação.


Continua feliz, Irmã Rosa, no gozo eterno de Deus que é Pai de Misericórdia e Compaixão.


                                                                                                                                                     Garibaldi, 26 de maio de 2018.









topo voltar