Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Maria Stepanov

 23/02/1920     10/01/2018



                                                              

Província da Congregação das Irmãs de São José de Chambéry no Brasil
Núcleo Santíssima Trindade       

                                                                                                                                        

                                                                               Irmã Maria Stepanov

                                                                                        * 23/01/1920

                                                                                        + 10/01/2018


                                                                                                                                 
                                Na casa de meu Pai há muitas moradas. Vou preparar-vos um lugar (Jo 14,2)

Maria Stepanov nasceu a 23 de janeiro de 1920, na Romênia, sendo seus pais, o Sr. Joan Stepanov e D. Achelina Stepanov. A menina foi batizada logo, no dia 25 do mesmo mês. Os pais eram ambos de religião católica ortodoxa. Maria tinha um irmão, Gheorghe, de 1912 e uma irmã, Ana de 1921, nascidos na Romênia

 

Os Stepanov decidiram imigrar e o país escolhido como segunda pátria foi o Brasil onde chegaram, no Rio de Janeiro, a 03 de maio de 1926. A família fixou-se em São Paulo e cresceu com mais dois meninos e uma menina. Nas condições de imigrantes, passaram grande dificuldade e apuros, enfrentaram muitas barreiras para garantir a sobrevivência. Conseguir documentos foi um capítulo à parte. O Sr. Joan veio da Romênia, muito marcado pelas experiências vividas na guerra. Quando contava, as lembranças lhe traziam lágrimas fáceis. Irmã Maria, foi sempre muito ligada à família e nunca lhe faltou o carinho de seus familiares.

 

Maria fez o primário em São Paulo concluindo o curso em 1937. Mais tarde, em Taubaté, SP, continuou seu estudo cursando o Ginásio que completou em 1975.

 

Maria entrou para o Postulado das Irmãs de São José, no dia 25 de janeiro de 1939. No dia 06 de agosto do mesmo ano, recebeu o hábito com o nome de Irmã Virgília. Dois anos mais tarde, a 06 de agosto fez seus primeiros Votos e celebrou a Profissão Perpétua no dia 26 de janeiro de 1945.

 

A partir de 1942, Irmã Maria tem uma longa lista de serviços os mais variados nas nossas comunidades de Itu, São Paulo, Campinas, Taubaté.... Esteve, inclusive, em Ponte Serrada, Santa Catarina. As atividades podem ter variado, mas em toda parte Irmã Maria viveu seu grande amor e doação a Nosso Senhor, na pessoa do “querido próximo”, colocado em seu caminho.

 

Irmã Maria Selya Fing é a pessoa que mais nos oferece informações a respeito de Irmã Maria Stepanov, com quem conviveu em várias etapas da Vida Religiosa, a começar do   Asilo de Taubaté, em 1955. Relata Irmã Maria Selya:

“Conheci Irmã Maria, na década de 50, nas nossas Comunidades de Taubaté, onde eu coordenava o Hospital Santa Isabel e ao mesmo tempo o Asilo que ficava perto. Naquela época, Irmã Maria trabalhava na lavanderia. Seu pai, Sr. Joan, era um internado acamado no Asilo, aonde veio a falecer. Irmã Maria queria por tudo que o pai fosse velado a noite inteira. Mas como velar o corpo na portaria? Não havia necrotério. Foi quase impossível convencê-la a desistir.

 

Em 1977, fui transferida para o Asilo D. Pedro II, no Jaçanã e tenho bem na memória os 10 anos que convivi com Irmã Maria nessa Comunidade. Cada Irmã era responsável por uma enfermaria. Nesta época, Irmã Maria não estava habilitada a assumir uma enfermaria, situação que não aceitava. Quando queria alguma coisa, se empenhava até conseguir. Queria ser enfermeira e se pôs a estudar. Muitas vezes me pedia reposta para as suas dúvidas do Manual de Enfermagem. Tomou a inciativa de ir até à Santa Casa, no Departamento de Enfermagem insistindo até que lhe confiaram o cuidado de um pavilhão que tanto desejava. Sentiu-se realizada e satisfeita em servir a Nosso Senhor, nas pessoas aí internadas.

 

Em 1988, a Província de São Paulo organizou um Projeto de Atualização das Irmãs, em forma de Romaria, para Roma e França, local das origens da Congregação. Acompanhei esse grupo de Irmãs em Romaria. Chegada a Roma, Irmã Maria foi impedida de continuar acompanhando o grupo, por problemas de sua identificação de origem Romena. Sendo imigrante desta nacionalidade, seus documentos não foram aceitos.  As autoridades italianas queriam deportá-la imediatamente de volta para o Brasil. Só com muitas tratativas, se conseguiu que Irmã Maria ficasse em Roma aguardando o grupo em giro pela França. Grande sofrimento tanto para Irmã Maria como para todo o grupo.

 

Em fevereiro de 1996, Irmã Maria foi transferida para a Casa de Repouso São José, no Taboão da Serra. Aí, continuou sendo essa Irmã Maria virtuosa e, ao mesmo tempo, a pessoa que não abria mão de sua ideia quando queria algo. Generosa, amava sua vocação e era muito fiel nos compromissos de sua Vida Consagrada. Fiel devota da Eucaristia, por nada deixava de participar da missa. Ia mesmo quase dormindo. Sempre agradecia toda atenção recebida e sabia mostrar muito respeito às autoridades e às nossas Constituições”.

 

Em 2016, Irmã Maria sofreu um AVC e passou a depender mais dos cuidados que recebia. Na noite de 10 de janeiro de 2018, foi chamada pelo Senhor para a morada que lhe preparou na Casa do Pai.

 

Querida Irmã Maria, junto de nosso bom Deus, lembre-se de nós!


 

 
                                                                                                                                                   

 

 

 

 

 


topo voltar