Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Irmã Maria José do Nascimento

 03/09/1923     09/12/2017



Província da Congregação  das Irmãs de São José de Chambéry no Brasil

Núcleo Santíssima Trindade

 

                                                                                           Irmã Maria José do Nascimento

 

                                                                                                             * 03/09/1923

                                                                                                            + 09/12/2017


“Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas dos sábios e cultos e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, assim foi do teu agrado”. (Lc 10, 21).

 

Maria José nasceu no dia 03 de setembro de 1923, em Porto Feliz – SP, sendo seu pai o Sr. Luiz Rodrigues do Nascimento e a mãe, D. Maria Antônia. Muito frágil, foi batizada em casa com o belo nome de Maria José, que sua avó prometeu confirmar ao batizá-la na Igreja. Maria José foi a mais velha de 12 irmãos, dos quais, 9 sobreviveram, 3 homens e 6 mulheres.

 

Só aos 10 anos, Maria José foi para a escola. Mas, com tantos filhos a sustentar, o pai tirou a menina do estudo para ajudar na roça, onde trabalhou vários anos. Era chegar da roça, Maria José tomava banho e ficava horas no quarto rezando o terço a N. Sra. e invocando o Espírito Santo pedindo orientação sobre o que devia fazer na vida. Todos os dias, se consagrava a Nossa Senhora.   Quando tinha, não perdia missa na paróquia.

 

Maria José, conta sobre sua vocação: “Uma noite rezei mais do que sempre. Não conhecia Irmãs de jeito nenhum. Em sonho, vi um quadro com uma freira sorrindo para mim. Guardei o sonho no meu coração e não contei nada a ninguém. Aos 17 anos fiquei doente e precisei me internar na Santa Casa de Itu. Logo na entrada, vi o quadro na parede. Era Madre Teodora. Meu coração pulou de alegria e pensei: ‘Aqui vou ficar e quero ser como ela’. Tenho a maior veneração por Madre Teodora. Como fui vê-la naquele sonho sem a conhecer e depois, reconhecê-la no quadro? A influência que tive na vocação foi só de Madre Teodora. Internada, as Irmãs vinham me ver. Usavam murça branca e andavam alegres e esvoaçantes. Pareciam andorinhas”.

 

Quando ficou melhor e retornou à casa, Maria José falou com o pai, sobre seu desejo de ser religiosa e entrar no convento. Ele disse apenas: “Não quero falar de convento”. Ela ficou quieta e entregou a Deus. Aos 19 anos, adoeceu novamente e foi internada outra vez. Quando sarou, em vez de buscá-la na Santa Casa, o pai chegou com todos os seus documentos para a filha ficar com as Irmãs.

 

Depois de ficar mais um mês na Santa Casa, e sem despedir-se dos parentes, receando que a segurassem, Maria José entrou no Postulado a 19 de março de 1943. Madre Josefina da Anunciação Gex a fitou com seus belos olhos azuis e disse: “Quem influenciou minha Irmã para entrar no convento? Minha Irmã é bonita, pode arrumar um casamento e ser feliz”. Maria José contou a ela o sonho. Madre Josefina escutou atenta e disse:  “Minha filha, vai, vai para o Noviciado. Vai servir Nosso Senhor”! Madre Josefina era uma pessoa tão enérgica e ao mesmo tempo, tão boa.

 

Sua tomada de hábito foi a 29 de janeiro de 1944, fez os primeiros votos a 29 de janeiro de 1947 e a profissão perpétua a 23 de fevereiro de 1952. Durante toda a sua Vida Religiosa, Maria José foi sempre uma Irmã quieta. Nunca murmurou de ninguém. Sofreu bastante por causa disso, mas entregou tudo a Deus para ele tomar de conta.

 

Irmã Maria José serviu, sempre alegre e feliz, em várias de nossas Comunidades:  nos trabalhos domésticos, ou cuidado de doentes, como atendente de Enfermagem, como auxiliar de biblioteca e serviços diversos.  Foi para isso - ter mais preparo e melhor servir – que fez, com esforço pessoal, à noite, em 1972, o curso supletivo do 4° ano primário no Colégio Coração de Maria (antigo Colégio Santana). Depois, cursou o Ginásio de 1973 a 1976 e em seguida, fez Auxiliar de Enfermagem em 1978 e 1979.

 

Vivia agradecida a Deus, a começar pelo batismo e pela vocação religiosa. Quantas graças recebidas de Deus! Tantas, através das Irmãs que lhe deram força para caminhar na Vida Religiosa.  Mesmo passando por muitas dificuldades, nunca teve o menor pensamento de deixar a vocação. Sempre pediu a Deus, a graça de seguir Jesus Cristo até o fim, com fidelidade.

 

A devoção a Maria ocupava grande lugar na sua vida e também São José, sendo a Eucaristia diária, seu alimento. No dia a dia, no serviço, na convivência, expressava sua intimidade com Deus. Onde tinha a oportunidade, visitava os velórios, consolava as pessoas e rezava o terço. Em Tremembé, ficou bem conhecida com esse serviço.

 

A 02 de abril de 2013, foi transferida para a Casa de Repouso São José para cuidados de saúde. Fez sua travessia definitiva no dia 09 de dezembro de 2017. Partiu para o desejado encontro com o Deus, que neste mundo, conheceu, amou e serviu, na pessoa do querido próximo. Nascida prematura e franzina, Irmã Maria José viveu mais de 94 anos, uma proeza, um milagre do Deus da Vida. A Deus, louvor e glória!

 

Querida Irmã Maria José, mais do que nunca,

alegre e feliz junto do bom Deus, lembre-se de nós!

 

 








topo voltar