Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Irmã Dileta Flamia

 10/05/2018     31/07/2017



PROVINCIA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS DE SÃO JOSÉ DE CHAMBÉRY NO BRASIL

NÚCLEO CAMINHO NOVO

 


               IRMÃ DILETA (ANGELA TERESA FLAMIA)

 

* 10.05.1918


+ 31. 07. 2017


“Seguia Jesus uma grande multidão, pois via os sinais que Ele fazia com os pobres e doentes!” (Jo 6,2)


Irmã Dileta, pessoa sensível e fiel na sua opção de seguir Jesus, detinha-se muito tempo na oração, reflexão e partilha de vida e missão de Jesus junto aos pobres e enfermos.


Nasceu no dia 10 de maio de 1918, em Bento Gonçalves, na Linha Faria Lemos. Filha de Giácomo e de Celeste Perin Flamia. Eram 10 irmãos. Na família, havia muito amor, carinho, dedicação e bem querer. Foi no ambiente familiar que Irmã Dileta aprendeu, muito mais pelo testemunho do que por palavras, a viver os valores evangélicos e a cultivar relações de simplicidade e cordial caridade conforme pedem nossas Constituições no nº. 11.


Aos 13 anos, Irmã Dileta, respondendo ao chamado que o Senhor lhe fazia, optou pela Vida Religiosa na Congregação das Irmãs de São José de Chambéry.


E como Irmã de São José, salientou-se, em todos os lugares e funções exercidas, pela sua mansidão, calma, comunicação amigável e acolhida de coração. Por expressar essas qualidades no seu dia a dia, sentiu-se pessoa realizada e feliz, principalmente no seu trabalho de recepcionista no Colégio São José de Pelotas e de Caxias do Sul e no Convento São José de Garibaldi. Prestou ainda seu serviço na Escola Normal São José, em Vacaria, ensinando Técnicas Familiares. Integrou por um ano a comunidade do Noviciado Interprovincial em Porto Alegre. Conviveu ainda nas Comunidades da Rua Vigário José Inácio em Porto Alegre, e nos Bairros Rio Branco e Cruzeiro em Caxias do Sul. No ano de 2014, passou a residir na Casa Nazaré para um período de descanso e tratamento de saúde.


Irmã Dileta sempre se destacou pelo seu jeito de acolher as pessoas: jeito delicado, alegre e pelo seu sorriso que a fez ser chamada: “a Irmã do sorriso”.


Cultivava grande amor e estima aos familiares. Lembrava com saudades e gratidão os anos vividos na família.


Era fiel à oração pessoal e comunitária. Desde criança, rezava o terço diariamente, cultivava grande devoção a São José e buscava na Eucaristia força para construir relações de unidade com as pessoas e com o universo. Participava com alegria da vida da Comunidade Igreja e na comunidade religiosa era muito prestativa e gostava de servir as Irmãs por amor. Estava sempre atenta para oferecer pequenas surpresas. Ajeitava tudo com arte e bom gosto. Amava a natureza. Descobria na contemplação de uma flor, de um bichinho, do mar, da mata, a presença de Deus Criador. Ao ser perguntada quais as motivações profundas que a sustentava na Via Religiosa e que a fazia ser uma pessoa realizada e feliz, respondeu:


“Para mim, o amor do Pai é minha força em tudo. Não vou dormir sem dar o perdão. Amo muito as crianças, pois vejo nelas o grande amor e carinho de Deus. Nunca me arrependi de ter dado meu “SIM”, por isso, sou uma pessoas muito feliz. Não gosto de ver pessoas tristes. Sempre que posso, dirijo uma palavra de conforto para animá-las e digo que rezo por elas. Amo muito a natureza. Fico triste quando vejo as pessoas se agredindo, se tirando a vida e acabando com as belezas criadas por Deus. Nas comunidades por onde passei, sempre fui bem aceita, gostava das Irmãs e da Vida Comunitária. Acompanhava e gostava das festas religiosas. Vivi por Deus e para Deus!”.


Querida Irmã Dileta, nesse dia em que aqui estamos para nossa despedida, te fazemos um pedido: “Intercede junto a Deus por nós, Irmãs de São José, pelos teus familiares, pelos teus amigos, para que saibamos viver essa tua mensagem tão simples e tão sábia. Continua intercedendo para que tenhamos novas e generosas vocações dedicadas ao Reino de Jesus.”

 

Caxias do Sul, 01 de agosto de 2017








topo voltar