Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Gracioza Burin

 29/04/1924     04/07/2016



Congregação das Irmãs de São José no Brasil

Caxias do Sul, julho de 2016.

 

                                                                                                           Irmã Gracioza Burim

 

                                                                                                                                                 * 29/01/1924

                                                                                                                                                 + 03/07/2016

 

“A fecundidade da ação apostólica depende da intimidade com Deus. Ação e oração, enraizadas na fé e no amor de Cristo, alimentam-se mutuamente.” (Constituições, nº 70)


A vida de Irmã Gracioza se resume nessas duas grandes metas: o Zelo Apostólico e a Contemplação, fruto da oração e da intimidade com Deus.


Irmã Gracioza nasceu em Júlio de Castilhos, RS, no dia 29 de janeiro de 1924. Era filha de Giacomo Burin e Maria Scapin.


O clima de fé e oração na família são uma luz e facilitam o discernimento na  vocação dos filhos. Assim, imbuída da graça de Deus, Gracioza sentiu o chamado de Deus à Vida Religiosa Consagrada e prontamente, na fé, deu o sei “SIM” e no dia 19 de outubro de 1944, com 20 anos, fez seu primeiro engajamento na Congregação das Irmãs de São José.


A partir dessa entrega ao Senhor, Irmã Gracioza inicia sua grande peregrinação como missionária, acreditando que os dons e as funções são diversas e complementares, mas a Vocação é uma só: a Vocação de Comunhão. Nos lugares por onde passou, com as pessoas com quem conviveu e nas atividades que exerceu, Irmã Gracioza tinha como grande objetivo criar um mundo mais justo e mais fraterno, onde toda pessoa fosse reconhecida em sua dignidade e seus direitos.


Irmã Gracioza marcou pessoas, lugares e comunidades pela sua simplicidade, humildade e pobreza. Nada fazia para aparecer aos olhos das pessoas, mas tudo fez sob o olhar amoroso de Deus, nosso Pai. No início de sua missão foi enviada para Sananduva, RS. Depois, durante 17 anos, trabalhou na França, lugar de origem da Congregação das Irmãs de São José, passando por Mouthiers, Bosel e Burc Saint Maurice. Voltando da França, em 1968, prestou seu serviço na Comunidade São José, Garibaldi.


Mas o coração de Irmã Gracioza desejava mais, seu zelo missionário a impulsionava para mais longe. Em 1969, assumiu prestar sua ajuda e viver com o povo pobre e desprovido de recursos do Maranhão e Pará, durante 43 anos, residindo em Riachão, Mirador, Paraibanos, Balsas, São Luís, São Raimundo das Mangabeiras e Marituba. Em 2012, sentindo que precisava descansar e cuidar de sua saúde já muito fragilizada, integrou a Comunidade da Betânia, Garibaldi.


Em suas preces tinha sempre bem presentes os familiares a quem dedicava muita afeição e pedia pela saúde de todos.


Irmã Gracioza destacou-se por ser mulher de profunda fé, espírito de renúncia e sacrifício. Criava um ambiente comunitário muito gostoso, oferecendo pratos saborosos de sua grande experiência em arte culinária. Foi Ministra Extraordinária da Comunhão, visitava os doentes, os presos, as famílias e sempre que podia ajudava os pobres e o fazia com espírito alegre, simples e acolhedor. Sabia acolher muito bem as pessoas. O tempo a elas dedicado na escuta era tempo de grande valor. Rezava muito pelas vocações, pedindo operários para a Messe do Reino de Jesus.


Querida Irmã Gracioza, o sentimento que brota em nós neste momento em que partes para o Casa do Pai é de profunda gratidão a Deus pelo dom da tua vida, pelo chamado que Ele te fez à Vida Religiosa na Congregação das Irmãs de São José. A ti, expressamos nossa admiração pelo testemunho e pelo exemplo que nos deixas de oração, simplicidade, de desprendimento, de amor e humildade.  Ajuda-nos a viver o que nos dizias enquanto estavas conosco: “Sejamos fervorosas e fortes na fé. Nas dificuldades, busquemos força e graça junto a Jesus na Eucaristia”. Continua pedindo a Deus vocações generosas e fieis ao projeto de Jesus para a sua Igreja. Descansa na Paz de Deus que é Pai de amor e infinita misericórdia.


Garibaldi, 04 de julho de 2016.

topo voltar