Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Maria Nallon

 15/11/2022     13/03/2016



PROVINCIA  DAS IRMÃS DE SÃO JOSÉ DE CHAMBÉRY
                                  NO BRASIL


                                                                             IRMÃ BRUNA NALLON
                                                                                        (Maria Nallon)

                                                                                        * 15/11/1922
                                                                                       + 13/03/2016

      
Irmã Bruna nasceu no dia 15 de novembro de 1922, no interior de Antônio Prado/RS. Filha de João Nallon e de Josefina Pasa Nallon. O casal teve 8 filhos, vários deles falecidos ao nascer ou como bebês. Irmã Bruna deixa uma única irmã viva, mais nova do que ela, que também é religiosa de São José - Irmã Jovina Nallon - e reside no Convento São José, em Garibaldi.
Fez seus primeiros estudos, até a 4ª série, em sua terra natal. Mais tarde, já Religiosa, concluiu o 1º grau e fez o Curso de Auxiliar de Enfermagem na Santa Casa de Misericórdia e o Curso de Enfermagem de Psiquiatria no Hospital São Pedro, ambos em Porto Alegre.


Em 1944, iniciou sua caminhada na Vida Religiosa, no Convento São José, em Garibaldi. Em outubro de 1945, fez seus votos na Congregação das Irmãs de São José.  Começou, então, sua vida comunitária de amor e dedicação como enfermeira no Hospital São Pedro, em Porto Alegre. Trabalhou nos Hospitais Nossa Senhora da Pompéia e Nossa Senhora da Saúde, em Caxias do Sul, no Hospital Nossa Senhora da Saúde, em Veranópolis, e no Hospital de Antônio Prado.  Por todos os lugares onde passou, Ir. Bruna sempre transmitiu compreensão, amor e doação aos doentes e seus familiares. 


Em 15 de fevereiro de 1961, foi transferida para Jaquirana e passou a trabalhar no Hospital Beneficente Nossa Senhora de Caravágio, hospital sem energia elétrica e outros recursos e, às vezes, sem médico. Mas ela enfrentou tudo com muita garra e otimismo, ensinando até aos próprios médicos como atender a parturiente. A primeira criança que nasceu por suas mãos foi Lucieni Mari dos Santos Branco. São muitas as histórias que Ir. Bruna contava daqueles tempos em que fazia os partos tendo apenas a luz de uma vela. 

                                                            
Em 1992, após passar alguns anos na Comunidade Regina Coeli, em Veranópolis, Ir. Bruna retorna, com muita alegria e, também, do povo de Jaquirana, não mais para trabalhar no Hospital, mas assume as atividades seguintes: Pastoral Familiar, Ministra da Eucaristia, Visitação aos doentes, Agente Voluntária da Saúde, cuidado da horta e jardim, Coordenação da Comunidade e outros serviços domésticos. Gostava muito de ajudar os pobres – ela mesma sempre viveu a pobreza, de modo a dar suas próprias roupas a quem precisasse. Quando percebia que alguém estava necessitado, levava comida, roupas, remédios, colaborando na construção de moradias através de projetos. Empenhava-se muito, buscando ajuda junto às autoridades, firmas e comércio para que todos tivessem uma moradia e saúde dignas. A Congregação também dava ajuda financeira e as Madeireiras da Região forneciam o material.


Em 1995, recebeu da Câmara Municipal de Jaquirana o título de Cidadã Jaquiranense, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados à comunidade de Jaquirana.


No ano 2002, foi transferida para a Comunidade São Luiz, em Porto Alegre, e depois, para a comunidade Madre Justina Inês. Em 2004, viveu na Comunidade São José, em Rio Grande, onde se ocupou da visita aos doentes, da Pastoral da criança, dos Grupos de Famílias e da Fraternidade Cristã dos Doentes e Deficientes.

Voltando a Porto Alegre, em 2005, dedicava-se à enfermagem, a serviços domésticos e como recepcionista na Comunidade Nazaré. Quando já não tinha compromissos de horário marcado, além de passar grande parte de seu tempo, fazendo tricô para os pobres e rezando vários terços por dia, pedindo a bênção de Nossa Senhora para as pessoas necessitadas, ia todas as manhãs ao centro da cidade prestando pequenos favores às Irmãs e para participar da Santa Missa no Santuário Nossa Senhora do Rosário. 

Em setembro de 2012, com quase 90 anos, a Prefeitura de Jaquirana, através da Câmara Municipal, reconheceu, mais uma vez, o valor e a expressão da missão de Ir. Bruna em favor da população carente de condições materiais e de saúde, e lhe conferiu um Diploma de Menção Honrosa e o Troféu Honorífico Zeno Cardoso Nunes. Estando Ir. Bruna com  atividades e locomoção muito limitadas, um representante do Município trouxe o troféu e o entregou pessoalmente à homenageada.

Em março de 2013, foi transferida à comunidade Nazaré, a fim de ser cuidada de acordo com suas necessidades de saúde. Suportou com resignação e muita paciência os sofrimentos dos últimos tempos. Na manhã do dia 13 de março, o Senhor a visitou chamando-a para o Reino definitivo junto a Ele, aos 93 anos de idade.

Querida Ir. Bruna, somos agradecidas por teu testemunho de vida. O Senhor te conceda o prêmio de tua doação e generosidade com tantos pobres e necessitados que atendeste com carinho ao longo de tua existência.

 Fica com Deus, em Sua paz e lembra  todas as pessoas que amaste em vida, de modo especial, teus familiares e tuas Irmãs de Congregação.

                                                                                                                                                                                           Porto Alegre, 13 de março de 2016

topo voltar