Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Celestina Ertal

 05/08/1926     08/02/2016



Congregação das Irmãs de São José de Chambéry

Província das Irmãs de São José Chambéry no Brasil

  

                                                                                                          Irmã Celestina Erthal

                                                                                                                 

                                                                                                                 * 05.08.1926

                                                                                                                  + 08.02.2016

 


Falar da vida e da missão de Irmã Celestina Erthal é falar de zelo missionário, de opção preferencial pelos pobres, de disponibilidade, desprendimento e de entrega confiante a Deus. Ela soube discernir, acolher e responder generosamente ao convite que o Senhor lhe fez para segui-Lo na radicalidade como Irmã de São José.


Irmã Celestina,  nasceu no dia cinco de agosto de 1926, em Salvador do Sul, era filha de Carlos e Carolina Morais Erthal. A família foi agraciada com oito filhos, três das quais seguiram a Vida Religiosa na Congregação das Irmãs de São José.


Foi batizada no dia 28 de agosto na Igreja São Pedro na cidade onde nasceu.


Aos 18 anos, entrou no Postulado em Garibaldi e no dia 17 de outubro de 1945 fez o primeiro engajamento como Irmã de São José.


A formação, o conhecimento, os cursos, os estudos realizados por Irmã Celestina durante sua vida visavam crescer como pessoa humana para melhor servir na missão. Depois de trabalhar por cinco anos na Escola Pio X em Nova Roma do Sul, sentiu que o Senhor a desafiava para algo mais que exigiria dela muita disponibilidade, doação, amor, sentido de pertença à Congregação e coragem para, como Maria que vai às pressas em socorro a sua prima Isabel, ir ao encontro das Irmãs e pessoas em terras longínquas. Em 1951, parte para a França onde, além do estudo da língua, foi professora de Jardim da Infância e monitora da Escola Familiar, em diversas cidades daquele País. De 1961 a 1969, parte para Madagascar, África, país pobre, onde todas as necessidades se fazem sentir.


Em 1970, voltando para o Brasil, residiu na Comunidade do Colégio São José em Caxias do Sul para um período de descanso e readaptação.  Porém, sempre atenta aos menos favorecidos, Irmã Celestina coloca-se novamente a caminho para servir na humildade, na simplicidade, mas imbuída dos valores do Evangelho e da Sabedoria do Espírito Santo. De 1971 a 1985, esteve na Bahia, passando pelas Comunidades de Alcobaça, Teixeira de Freitas e Remanso, tempo em que rezou, sofreu, trabalhou, acolheu e escutou o povo nas suas necessidades espirituais.  Em 1986 a 1989 é enviada em Missão para Deodápolis, Amambai e Dourados em MS, estendendo sua mão amiga às pessoas que sempre a acolhiam como um presente do céu. Em 1993, voltando ao Rio Grande do Sul, integra a Comunidade de Alvorada, na Grande Porto Alegre, engajando-se em diversos projetos sociais.


No ano de 2012, necessitada de cuidados passou a residir na Comunidade da Casa Nazaré, em Caxias do Sul.


Irmã Celestina, pessoa calma, serena, reflexiva, ponderada, alimentava sua vida e sua missão na oração, na celebração da Eucaristia, nos encontros de estudo e avaliação com os grupos de trabalho e atuação junto ao povo. Amava profundamente a Palavra de Deus, onde buscava luz, motivação e perseverança no seu trabalho de promoção da vida. Como Irmã de São José dava valor à Vida de Comunidade. Concebia a Eucaristia como o Sacramento da Unidade na Igreja e fonte de participação na Missão de Cristo.


Ao completar 60 anos de Vida Religiosa Consagrada, muito feliz, assim se expressou: “Agradeço a Deus pela vida, pela saúde, encontros e reencontros de pessoas, pela amizade, pela missão e os passos dados em conjunto. Sinto-me totalmente em paz e se hoje tivesse que recomeçar, faria tudo de novo”. Nessa ocasião, deixou como mensagem às Irmãs e às jovens vocacionadas: “Se ouvirem o chamado de Deus, escutem-no com carinho e respondam com coragem. A vida é uma só. Vale a pena vivê-la e empenhar-se na realização do Projeto de Jesus: ‘Que todos tenham vida plena’”. (Jo 10,10)


Querida Irmã Celestina, obrigada pela tua vida em missão. Obrigada pelo testemunho de fé e de acolhida a dor e o sofrimento na confiança e abandono nas mãos de Deus, pela tua serenidade, pelo teu sorriso e pelo amor à Congregação.


Continua intercedendo por todas nós, pelos teus familiares, pessoas amigas e conhecidas. Intercede a bênção de Deus sobre as irmãs, cuidadoras e funcionários da Casa Nazaré onde viveste teus últimos anos de vida. Fortalece-nos na luta em favor da vida, engajando-nos na concretização do lema do Capítulo Geral da Congregação: “Viver o dinamismo da Reconciliação e Unidade nas periferias do nosso mundo fragmentado”.


                                                                                                           Descansa na paz e na luz de Deus. Amém


                                                                                                                                                                                     Caxias do Sul, 09 fevereiro de 2016.

 

topo voltar