Irmãs de São José de Chambéry do Brasil e Bolívia
Memorial Saudades

Irmã Gecyra Libera Guiotto

 28/02/1930     16/09/2015



 

Congregação das Irmãs de São José de Chambéry

Província de Caxias do Sul

 

          Irmã Gecyra Libera Guiotto

          * 28.02.1930

            + 16.09.2015

 

 

“Dou-te graças, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos entendidos, e tu as revelaste aos simples e pequeninos!” (Mt 11, 25)

Irmã Gecyra Libera Guiotto nasceu em Sananduva, RS. Filha de Jacob Guiotto e de Amabile Bigarella Guiotto. Era a oitava filha do casal. Apesar de saúde frágil desde pequena, sempre se mostrou pessoa forte, generosa, disponível, agradecida e acolhedora.

Ao falar de sua vida em missão, ela reconhece que Deus tem os seus caminhos que nem sempre são os sonhados e pretendidos por nós. E para cada situação ou tempo de sua caminhada de 85 anos, Irmã Gecyra repetia: “Foi melhor assim! Deus seja louvado!”

Com oito anos, fez a primeira Comunhão e foi crismada. Com orgulho ela dizia: “A catequista foi minha mãe e o padre disse que eu estava bem preparada”. Lembrava, com alegria, os pedidos que fez a Jesus nesse dia; “amar sempre a Jesus, nunca ofendê-lo e a graça de uma boa morte.” A família era muito religiosa. Quando criança, os pais falavam muito sobre as aparições de Nossa Senhora de Fátima, de Lourdes, de Caravaggio. E ela, na sua ingenuidade, achava que podia ver Nossa Senhora também. Lembra que quando iam para a escola, e o percurso era longo, ela e suas irmãs rezavam o terço durante o trajeto.

O ambiente de fé e de oração na família favoreceu o cultivo da Vocação à Vida Religiosa Consagrada.

Conheceu as Irmãs de São José em Sananduva. Encantou-se pelo seu jeito simples e carinhoso de acolher e conversar com as pessoas.

Decidida a seguir a Vida Religiosa como Irmã de São José, fez o postulado em Garibaldi no ano de 1948 e em 1950, fez o primeiro Engajamento, e foi enviada em missão para o Hospital Psiquiátrico São Pedro, Porto Alegre, lá permanecendo pelos longos 31 anos, trabalhando como auxiliar de Farmácia. Passou depois a trabalhar na Creche São Francisco, em Porto Alegre.

Em 1988, recebeu o convite para trabalhar em Remanso, Bahia, que aceitou com alegria e na total confiança em Deus. Durante os 23 anos que lá permaneceu e ela mesma confessa que se identificou com aquele povo pobre e sofrido. Encontrou o lugar e a missão que sonhava: “Ser Missionária, ajudar e estar com os mais pobres, os desprovidos de razões para ter esperança.” Visitava as famílias, os doentes, consolava os tristes e alimentava a esperança de quem não tinha em quem confiar.

Irmã Gecyra morou e trabalhou ainda nas comunidades de Fátima do Sul, MS, nos Bairros Pioneiro e Santa Fé, em Caxias do Sul. Em 2015, em vista de sua saúde fragilizada, passou a residir na Casa Nazaré, em Caxias do Sul.

Irmã Gecyra foi pessoa de muita oração, fé e disponibilidade ao Senhor. Cultivava grande intimidade com Deus. Viveu com intensidade o que rezam as Constituições das Irmãs de São José: “espírito de humildade, de aniquilamento, de vida oculta em Deus, vida voltada totalmente para Deus e para o próximo e nada para si mesma”. Era conhecida como a irmãzinha que reza nas famílias.

Sabia integrar oração, trabalho e lazer. Gostava de estar na comunidade das Irmãs para rezar, estudar e se divertir. Generosidade e autenticidade foram suas grandes virtudes. Era afável, caridosa com as Irmãs. Misericordiosa e prudente nos seus julgamentos e palavras. Cuidou muito do cultivo da fé, do Carisma de Comunhão, de sua formação pessoal e espiritual. Aproveitava das oportunidades que lhe eram oferecidas. Era muito querida e amava muitos seus familiares. Participava de sua vida, de suas alegrias e dores pela comunicação, visitas e prece.

Querida Irmã Gecyra, com tristeza mas na mais profunda admiração e fé na Vida eterna, nos despedimos hoje de ti. Obrigada pelo exemplo de doação, amor, zelo pela missão e empenho na vivência da Comunhão e da fraternidade.

Junto de Deus, intercede pelos teus familiares, pelas Irmãs de São José, pelas pessoas que sofrem e passam necessidades, pela Igreja de Jesus para que possa ser sinal do Reino. Olha para nossa Congregação a caminho da realização do Capítulo Geral. Que tenhamos a ousadia para darmos respostas aos apelos do povo, da Igreja e da Sociedade.

Que possamos, com a graça de Deus, viver o que nos deixaste como mensagem: “A intimidade com o Senhor é que dá coragem, força e confiança em Deus. Vida religiosa bem vivida é o céu na terra”.

 

Garibaldi, 17 de setembro de 2015. 

topo voltar